Visualizações

62

Morcegos dos biomas Cerrado e Amazônia Maranhense: Conhecer para conservar

Publicado em 05 de julho de 2021.

O Estado do Maranhão possui 21.656.866 hectares e está localizado centralmente no Nordeste brasileiro em uma posição estratégica de confluência entre os biomas Amazônia, Cerrado e Caatinga. Além da presença destes três biomas estão presentes inúmeras áreas onde esses ambientes se misturam formando os ecótonos. A presença destes três biomas e os seus ecotónos potencializam a ocorrência de uma alta diversidade biológica no estado do Maranhão. Esse potencial, até o momento, foi muito pouco explorado e sua biodiversidade corre o risco de nunca ser conhecida. A principal ameaça é o crescimento contínuo do desmatamento na região que é apontada como a última fronteira agrícola do país. Esse cenário é principalmente crítico para os mamíferos, e em especial, para os morcegos. Até o ano de 2009 existiam apenas quatro trabalhos publicados sobre estes animais, no Maranhão, sendo que três deles tiveram como enfoque os seus ectoparasitas.

O grupo dos morcegos (Chiroptera) corresponde à segunda ordem mais diversa dos mamíferos, constando até o momento 181 espécies descritas para o Brasil. Apesar de serem considerados como pragas e transmissores de doenças pela população comum, apenas três espécies apresentam ameaça direta ao homem por se alimentarem de sangue de mamíferos (uma espécie) ou de aves (duas espécies). Essas espécies hematófagas apresentam importante papel na saúde pública podendo ser transmissoras do vírus da raiva e outras doenças. As demais espécies, assim como qualquer mamífero, também podem ser transmissoras do vírus rábico, destarte, importantes agentes ecológicos, com atuação vital na manutenção de populações de várias plantas por meio da polinização e dispersão de sementes, ou ainda, por serem importantes predadores de artrópodes considerados pragas agrícolas, dentre outras tantas características listadas no decorrer deste livro.

Diante do exposto, o conhecimento da diversidade desse grupo e a desmistificação se fazem necessários para um melhor manejo e conservação dos morcegos. Dessa forma, a equipe coordenada pela Prof. Dra. Maria Claudene Barros do CESC-UEMA, começou a se preocupar em descrever essa diversidade a partir de dois projetos de pesquisa junto à Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), nos anos de 2013 e 2015 intitulados respectivamente: “Caracterização molecular da quiropterofauna com ênfase na família Phyllostomidae (Chiroptera, Mammmalia) em fragmentos do Cerrado leste maranhense” e “Caracterização molecular de morcegos com ênfase na família Phyllostomidae, na rota do surto da raiva, nos municípios maranhenses e paraenses”.

Esses projetos possibilitaram o desenvolvimento de vários trabalhos de monografias, dissertações e também a publicações de artigos, como por exemplo a lista de espécies de morcegos para o Cerrado no ano de 2016 na revista Biota Neotopica, bem como o presente livro. O livro reúne toda a diversidade listada até o momento nos biomas da Amazônia e Cerrado maranhense, com importantes informações sobre identificação correta dos animais tanto pelas características morfológicas quanto pelo seu código de barras genético, o status da raiva nas espécies estudadas, suas características ecológicas, morfológicas e de distribuição a partir de fotos e desenhos esquemáticos funcionando como um guia tanto para leigos quanto para a sociedade acadêmica.

O livro ainda trata de questões importantes como: a importância da correta identificação dos animais, aspectos ecológicos relacionados à polinização e a dispersão de sementes, educação ambiental, uma relação e descrição dos ambientes em que os animais foram coletados e os métodos de coleta dos mesmos, e por fim, as principais ameaças que os morcegos enfrentam no estado do Maranhão. Desta forma esperamos que o livro sirva de estímulo para a conservação desses animais tão importantes e tão pouco conhecidos no Estado.

Bruno Augusto Torres Parahyba Campos. Dr

Pesquisador PPGBAS/UEMA

Morcegos dos biomas Cerrado e Amazônia Maranhense: Conhecer para conservar

DOI: https://doi.org/10.22533/at.ed.187210507

ISBN: 978-65-5983-218-7

Palavras chave: 1. Morcegos. 2. Quiropterofauna. 3. Biodiversidade. 4. Conservação. 5. Manejo. 6. Maranhão. I. Barros, Maria Claudene (Organizadora). II. Olímpio, Ana Priscila Medeiros (Organizadora). III. Lima, Amanda Cristiny da Silva (Organizadora). IV. Título.

Ano: 2021

Autores

  • AMANDA CRISTINY DA SILVA LIMA
  • AMANDA CRISTINY DA SILVA LIMA
  • ANA PRISCILA MEDEIROS OLÍMPIO
  • ANA PRISCILA MEDEIROS OLÍMPIO
  • BRUNO AUGUSTO TORRES PARAHYBA CAMPOS
  • BRUNO AUGUSTO TORRES PARAHYBA CAMPOS
  • BRUNO RAFAEL DA SILVA TEIXEIRA
  • CLEISON LUIS DA SILVA COSTA
  • CLEISON LUÍS DA SILVA COSTA
  • DAIANE CHAVES DO NASCIMENTO
  • DAIANE CHAVES DO NASCIMENTO P
  • ELMARY DA COSTA FRAGA
  • FABIO HENRIQUE DE SOUSA CARDOSO
  • FABIO HENRIQUE DE SOUZA CARDOSO
  • FERNANDA ATANAENA GONÇALVES DE ANDRADE
  • FERNANDO FAVIAN CASTRO CASTRO
  • JANETE SANTOS SILVA
  • MARCELO CARDOSO DA SILVA VENTURA
  • MARCELO CARDOSO DA SILVA VENTURA
  • MARCELO CARDOSO DA SILVA VENTURA
  • MARCIA DE JESUS OLIVEIRA MASCARENHAS
  • MARIA CLAUDENE BARROS
  • MARIA CLAUDENE BARROS
  • NAIARA PEREIRA DA SILVA
  • RUBIA SANTOS FONSECA
  • SAMIRA BRITO MENDES
  • TIAGO DE SOUSA REIS
  • VERÔNICA BRITO DA SILVA