Visualizações

51

Capitalismo contemporâneo e políticas educacionais

Publicado em 11 de junho de 2021.

Fomos surpreendidos em 2020 pela pandemia do novo coronavírus. Nesse entremeio de suspensão de atividades e de distanciamento social, fomos levados a (re)pensar as nossas relações e a forma de ver o mundo. Mesmo em 2021, com a aprovação do uso das vacinas no Brasil e com aplicação a passos lentos, seguimos um distanciamento permeado por angústias e incertezas: como será o mundo a partir de agora? Quais as implicações do contexto pandêmico para as questões sociais, sobretudo para a Educação no Brasil? Que políticas públicas são e serão pensadas a partir de agora em nosso país?

E é nesse lugar histórico de busca de respostas para as inúmeras problemáticas postas nesse período que estão os autores e autoras que compõe esse livro. Sabemos, partindo do que nos apresentaram Silva, Nery e Nogueira (2020, p. 100), que as circunstâncias do contexto pandêmico são propícias e oportunas para construção de reflexões sobre os diversos “aspectos relativos à fragilidade humana e ao seu processo de ser e estar no mundo, que perpassam por questões culturais, educacionais, históricas, ideológicas e políticas”. Essa pandemia, ainda segundo os autores, fez emergir uma infinidade de problemas sociais, necessitando assim, de constantes lutas pelo cumprimento dos direitos de todos.

Como assevera Santos (2020), desde que o neoliberalismo foi se impondo como versão dominante do capitalismo o mundo tem vivenciado um permanente estado de crise; onde a educação e doutrinação, o capitalismo, o colonialismo e o patriarcado são os principais modos de dominação ao nível dos Estados.

Nesse sentido, a pandemia, ainda segundo o autor anteriormente referenciado, veio apenas agravar a crise que a população tem vindo a ser sujeita. Esse movimento sistemático de olhar para as crises, postas na contemporaneidade, faz desencadear o que o que Santos (2020, p. 10) chamou de “[...] claridade pandêmica”, que é quando um aspecto dessa crise faz emergir outros problemas, como os relacionados à sociedade civil, ao Estado e as políticas públicas, por exemplo. É esse, ainda segundo o autor, um momento catalisador de mudanças sociais.

As discussões empreendidas neste livro, intitulado “Capitalismo Contemporâneo e Políticas Educacionais”, por terem a Educação como foco, como o próprio título sugere, torna-se um espaço oportuno de discussões e (re)pensar da Educação, considerando os diversos elementos e fatores que a intercruzam. Na direção do apontado anteriormente, é que professoras e professores pesquisadores, de diferentes instituições e países, voltam e ampliam o olhar em busca de soluções para os inúmeros problemas postos pela contemporaneidade. É um desafio, portanto, aceito por muitas e muitos que aceitaram fazer parte dessa obra.

Os autores e autoras que constroem essa obra são estudantes, professoras e professores pesquisadores, especialistas, mestres, mestras, doutores ou doutoras que, muitos, partindo de sua práxis, buscam novos olhares a problemáticas cotidianas que os mobilizam. Esse movimento de socializar uma pesquisa ou experiência cria um movimento pendular que, pela mobilização dos autores/autoras e discussões por eles e elas empreendidas, mobilizam-se também os leitores/leitoras e os incentiva a reinventarem os seus fazeres pedagógicos e, consequentemente, a educação brasileira. Nessa direção, portanto, desejamos a todos e todas uma instigante e provocativa leitura!

Américo Junior Nunes da Silva

André Ricardo Lucas Vieira

Ilvanete dos Santos de Souza

 

REFERÊNCIAS

SILVA, A. J. N. DA; NERY, ÉRICA S. S.; NOGUEIRA, C. A. Formação, tecnologia e inclusão: o professor que ensina matemática no “novo normal”. Plurais Revista Multidisciplinar, v. 5, n. 2, p. 97-118, 18 ago. 2020.

SANTOS, B. S. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Almedina, 2020.

Capitalismo contemporâneo e políticas educacionais

DOI: 10.22533/at.ed.678211106

ISBN: 978-65-5983-167-8

Palavras chave: 1. Educação. I. Silva, Américo Junior Nunes da (Organizador). II. Vieira, André Ricardo Lucas (Organizador). III. Souza, Ilvanete dos Santos de (Organizadora). IV. Título.

Ano: 2021

Autores

  • AMANDA BASTOS ALMEIDA
  • ANDIARA APARECIDA SOUSA
  • ANGELIMAR SANTANA SANTOS
  • ANTÔNIO FERNANDES NASCIMENTO JUNIOR
  • ARMINDA RACHEL BOTELHO MOURÃO
  • CLAUDIO EMIDIO-SILVA
  • CRISTIAN CORRENA CARLO
  • DÁLET HELEN VASCONCELOS VERAS LIMA
  • DANIEL PULCHERIO FENSTERSEIFER
  • DENYLSON DOUGLAS DE LIMA CARDOSO
  • DINALVA CLARA MONTEIRO SANTOS SILVA
  • ELENICE DE ALENCAR SILVA
  • ETHEL LOUISE PEREIRA DOS SANTOS
  • EVELYN IRIS LEITE MORALES CONDE
  • FÁBIO MAMORÉ CONDE
  • FLÁVIO RICARDO SILVA SOUSA
  • FRANCISCA DE FÁTIMA DE LIMA SOUSA
  • GABRIEL RIBEIRO GRITEN
  • GIOVANA GIRALDELLI MENDES BARBOSA
  • GIOVANNA DE CARVALHO ALMEIDA AVELAR
  • GUSTAVO COSTA DE SOUZA
  • HELENICE BASTOS BATISTA ROCHA
  • HELLEN REGINA MARTINS ROCHA
  • ISADORA PEREIRA DIAS
  • JANAINA ROSSAROLLA BANDO
  • JESSICA ALESSANDRA HUNGARO
  • JOÃO PEDRO CARDOSO DE MACEDO
  • JOSÉ GERALDO PEDROSA
  • LARISSA ANTUNES ZANOTTI
  • LEILANE ALVES CHAVES
  • LIDIA ANDRADE DA SILVA
  • MARCELLA ARRAES CASTELO BRANCO
  • MARCELO VERA CRUZ DINIZ
  • MÁRCIO PAZ CÂMARA
  • MARIA DAS DORES SARAIVA DE LORETO
  • MARIA DE FÁTIMA DE ANDRADE FERREIRA
  • MARIA VIRGÍNIA MARTINS MATTAR
  • MAURÍCIO COSME DE LIMA
  • MESSIAS FURTADO DA SILVA
  • MIRELA VIERSA MORILLO
  • NAIARA RAMOS
  • NATALIA DE LIMA BUENO
  • NATHÁLIA DIAS PEREIRA ALVES OLIVEIRA
  • NATHÁLIA GONÇALVES FERREIRA
  • NATHÁLIA MARTINS FERREIRA
  • POLYANA GOMES DE MATOS
  • RENATO PEREIRA DA SILVA
  • RICHARD LIMA REZENDE
  • RODRIGO AUGUSTO PRANDO
  • SILVIA REGINA CANAN
  • SIMONE FERREIRA TEIXEIRA
  • STEFANI DE LIMA
  • STEFANI IOLANDA GOMES DE LIMA
  • TELMO MARCON
  • VAGNO EMYGDIO MACHADO DIAS
  • VALDIVINA ALVES FERREIRA
  • VANJA DA CUNHA BEZERRA
  • VITÓRIA MARINHO WERMELINGER
  • WILLIAM DE FARIAS BARROS
  • WYADYSON FRANCISCO DE SOUSA MACIEL

Artigos