Visualizações

293

Incompletudes e Contradições para os Avanços da Pesquisa em Matemática

Diante do cenário em que se encontra a educação brasileira, é comum a resistência à escolha da docência enquanto profissão. Os baixos salários oferecidos, as péssimas condições de trabalho, a falta de materiais diversos, o desestímulo dos estudantes e a falta de apoio familiar são alguns dos motivos que inibem a escolha por essa profissão. Os reflexos dessa realidade são percebidos pela baixa procura por alguns cursos de licenciatura no país, como por exemplo, o curso de Matemática. 

Para além do que apontamos, a formação de professores que ensinam Matemática vem sofrendo, ao longo dos últimos anos, inúmeras críticas acerca das limitações apresentadas para a constituição de professores. A forma como muitos cursos se organizam curricularmente, se olharmos para algumas licenciaturas, impossibilita experiências de formação que aproximem o futuro professor das diversas e plurais realidades escolares.  Somada a essas limitações está o descuido com a formação de professores reflexivos e pesquisadores.

O contexto social, político e cultural tem demandado questões muito particulares para a escola e, sobretudo, para a formação, trabalho e prática docente. Isso, de certa forma, tem levado os gestores educacionais a olharem para os cursos de licenciatura e para a Educação Básica com outros olhos. A sociedade mudou, nesse contexto de inclusão, tecnologia e de um “novo normal”; com isso, é importante olhar mais atentamente para os espaços formativos, em um movimento dialógico e pendular de (re)pensar as diversas formas de se fazer ciências no país. A pesquisa, nesse interim, tem se constituído como um importante lugar de ampliar o olhar acerca das inúmeras problemáticas, sobretudo no que tange ao conhecimento matemático.  

É nessa sociedade complexa e plural que a Matemática subsidia as bases do raciocínio e as ferramentas para se trabalhar em outras áreas; é percebida enquanto parte de um movimento de construção humana e histórica e constitui-se importante e auxiliar na compreensão das diversas situações que nos cerca e das inúmeras problemáticas que se desencadeiam diuturnamente. É importante refletir sobre tudo isso e entender como acontece o ensino desta ciência e o movimento humanístico possibilitado pelo seu trabalho. 

Ensinar Matemática vai muito além de aplicar fórmulas e regras. Existe uma dinâmica em sua construção que precisa ser percebida. Importante, nos processos de ensino e aprendizagem matemática, priorizar e não perder de vista o prazer da descoberta, algo peculiar e importante no processo de matematizar. Isso, a que nos referimos anteriormente, configura-se como um dos principais desafios do educador matemático e sobre isso, de uma forma muito particular, abordaremos nesta obra.  

É neste sentido, que o livro “Incompletudes e Contradições para os Avanços da Pesquisa em Matemática”, nasceu, como forma de permitir que as diferentes experiências do professor pesquisador que ensina Matemática sejam apresentadas e constituam-se enquanto canal de formação para professores da Educação Básica e outros sujeitos. Reunimos aqui trabalhos de pesquisa e relatos de experiências de diferentes práticas que surgiram no interior da universidade e escola, por estudantes e professores pesquisadores de diferentes instituições do país. 

Esperamos que esta obra, da forma como a organizamos, desperte nos leitores provocações, inquietações, reflexões e o (re)pensar da própria prática docente, para quem já é docente, e das trajetórias de suas formações iniciais para quem encontra-se matriculado em algum curso de licenciatura. Que, após esta leitura, possamos olhar para a sala de aula e para o ensino de Matemática com outros olhos, contribuindo de forma mais significativa com todo o processo educativo. Desejamos, portanto, uma ótima leitura a todos e a todas.

Prof. Dr. Américo Junior Nunes da Silva

Incompletudes e Contradições para os Avanços da Pesquisa em Matemática

DOI: 10.22533/at.ed.405202710

ISBN: 978-65-5706-440-5

Palavras chave: 1. Matemática – Pesquisa – Brasil. I. Silva, Américo Junior Nunes da.

Ano: 2020

Autores

  • ALESSANDRA DOS SANTOS FERNANDES
  • AMÉRICO JUNIOR NUNES DA SILVA
  • ANDRÉ RICARDO LUCAS VIEIRA
  • ANGELA LEITE MORENO
  • BRUNO SEBASTIÃO RODRIGUES DA COSTA
  • CARINE GELTRUDES WEBBER
  • CARLOS EDUARDO FERREIRA MONTEIRO
  • CELIMAR REIJANE ALVES DAMASCENO PAIVA
  • CELSO RIBEIRO CAMPOS
  • CINTHYA MARIA SCHNEIDER MENEGHETTI
  • CLAUDIA MAZZA DIAS
  • CRISTIANA ANDRADE POFFAL
  • DAIANA LANA
  • DIANE SARAIVA FRONZA
  • DIONÍSIO BURAK
  • DOMINGOS ANTONIO LOPES
  • EDSON CRISOSTOMO DOS SANTOS
  • ELIANE FERREIRA DE SANTANA
  • EUSOM PASSOS LIMA
  • FELIPE MANOEL CABRAL
  • FRANCISCO ERISSON BATISTA GOMES
  • GUILHERME SCHILDT DUARTE
  • ISOLDA GIANNI DE LIMA
  • IZAIAS SILVA RODRIGUES
  • JAIRO ALVES BATALHA
  • JANETE BIZATTO FERREIRA
  • JEIZI FERREIRA SANTOS
  • JOÃO CARLOS LEMOS JUNIOR
  • JOSUÉ ANTUNES DE MACÊDO
  • JULIO SILVA DE PONTES
  • KAROLINE DE SARGES FONSECA
  • KELEN RICARDO DOS REIS
  • LARA RAFAELA DE MENEZES
  • LARISSE LORRANE MONTEIRO MORAES
  • LAURETE TERESINHA ZANOL SAUER
  • LENIEDSON GUDES DOS SANTOS
  • MAIKY BAILÃO SARDINHA
  • MANUEL OSÓRIO BINELO
  • MARCELA LIMA SANTOS
  • MARCELO EDER LAMB
  • MARCOS VINICIUS SILVA ALVES
  • MARTINHO WOJDYLO
  • MAURÍLIO MESSIAS BOMFIM ALVES
  • MICHELA CAROLINE MACÊDO
  • MICHELE MARTINS LOPES
  • MÍRIAN SILVA FERREIRA
  • NILSON LUIZ CASTELUCIO BRITO
  • NILTON ROSINI
  • OTAVIO JUNIOR REIS DE MORAES
  • PEDRO AUGUSTO LOPES ROSA
  • PEDRO HUMBERTO DE ALMEIDA MENDONCA GONZAGA
  • PEDRO PABLO DURAND LAZO
  • RICARDO KLEIN LORENZONI
  • ROBERTA DALL AGNESE DA COSTA
  • RODOLFO CHAVES
  • RODOLFO FRANÇA DE LIMA
  • RODRIGO FERREIRA DOS SANTOS
  • RODRIGO FONSECA SANTANA COSTA
  • RONALDO JACUMAZO
  • ROSANA PINHEIRO TAVARES
  • SEBASTIÃO ERIK PINHEIRO E PINHEIRO
  • SILVANA GRIMES
  • ULISSES SURIANO DA SILVA NETO
  • VANESSA FAORO
  • VERA LÚCIA DE OLIVEIRA FREITAS RUAS
  • WEVERTON AUGUSTO DA VITÓRIA
  • XU YANG

Artigos