Visualizações

37

Para Além da Ficção: Reflexos da Mulher Sertaneja na Personagem Flora, de Esaú e Jacó, de Machado de Assis

O presente trabalho é resultado da análise da personagem Flora da obra clássica de Joaquim Maria Machado de Assis, Esaú e Jacó, avaliando a apresentação do escritor sobre o sexo feminino na sociedade oitocentista. Escrita pelo mais renomado dos escritores brasileiros, a prosa descreve a personagem Flora que se constitui na obra como um modelo feminino que ultrapassa as barreiras comportamentais do seu tempo histórico, ou seja, os preceitos da sociedade oitocentista do século XIX, principalmente no que se refere à submissão e ao casamento. Consideramos que a personagem Flora se assemelha as jovens mulheres sertanejas do século XXI, com relação à submissão e ao casamento como foi percebido na pesquisa. Desse modo, este estudo está fundamentado na leitura de autores como Machado de Assis (1904), VALLADARES, (2013), COSTA, (2010), GLEDSON, (2003), e as teorias feministas, SCOTT (2018), SAFFIOT, (2004), BEAUVOIR (1970), acompanhadas com os teóricos da literatura GLEDSON (2003), BOSI (2007 e 1996) E SCHWARZ (1990), também recorremos aos sociólogos, BOURDIEU, (2012), CANDIDO, (2010, 2011, 1999), WHITAKER (2002), entre outros, que apontam que Machado de Assis não era um escritor totalmente fiel ao estilo realista de sua época, e não se prendia a mera descrição da realidade social, mas a problematizava. Portanto, a personagem Flora se apresenta no romance como um modelo feminino que ultrapassa as barreiras comportamentais e sociais vigentes na sociedade, mostrando-se contrária a ideia de casamento e submissão, o que na época era prioridade para as mulheres da sociedade conservadora, principalmente quando o pretendente era um homem rico. Tal estudo se justifica porque Machado de Assis é um autor expressivo da literatura brasileira, e por seu romance Esaú e Jacó se constituir uma fonte de estudo inesgotável, pois, a cada nova leitura surge um novo aspecto da obra ainda não explorado. A pesquisa teve como foco uma pesquisa bibliográfica qualitativa e quantitativa, que adotou como corpus a obra Esaú e Jacó, de Machado de Assis, com análise da personagem Flora, de acordo com o momento histórico em que está inserida, além de se realizar um estudo de caso nas comunidades do município de São José da Tapera (AL), Gavião, Melancia, e Lage Grande, onde se analisou as jovens mulheres moradoras destas comunidades, a partir da perspectiva da desigualdade de gênero, fazendo uma relação entre a personagem Flora e as jovens sertanejas da atualidade. Considera-se que as entrevistadas mantêm uma relação com uma cultura conservadora situada neste espaço, que se remete a sociedade oitocentista, período que a personagem Flora vivia no romance Esaú e Jacó, logo aponta um machismo que afeta as jovens dessas comunidades com ralação submissão e ao casamento quase obrigatório neste lugar, o que corrompe a juventude, o projeto de vida e a formação escolar dessas mulheres. 

Para Além da Ficção: Reflexos da Mulher Sertaneja na Personagem Flora, de Esaú e Jacó, de Machado de Assis

DOI: 10.22533/at.ed.150202610

ISBN: 978-65-5706-515-0

Palavras chave: 1. Assis, Machado de, 1839-1908. 2. Esaú e Jacó. 3. Mulheres na literatura. 4. Personagem Flora. 5. Mulher sertaneja. 6. Representação feminina. I. Maciel, Wilma Lima. II. Oliveira, José Fábio de. III. Título.

Ano: 2020

Autores

  • WILMA LIMA MACIEL
  • JOSÉ FÁBIO OLIVEIRA