AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: UMA VIA DE MÃO DUPLA?

O presente capítulo tem por objetivo investigar as estratégias de avaliação utilizadas nas aulas de Educação Física. O pressuposto teórico adotado consiste na ideia de que, os métodos de avaliação deveriam ser utilizados pelo professor com a intenção de diagnosticar o que os alunos já sabem, o que eles precisam saber, analisando assim todo o processo de ensino/aprendizagem com um olhar voltado não apenas para o aluno, mas também para o professor. Realizando assim a reconstrução das estratégias metodológicas, toda vez que que for constatada baixa aprendizagem através da avaliação formativa. Nessa vertente, o professor deverá utilizar a avaliação não para classificação e sim para construção do currículo, colocando-se como sujeito ativo na aquisição da aprendizagem, ao invés de deixala a cargo do interesse do aluno, pois quando às estratégias metodológicas são eficientes a aprendizagem ocorre, ela não precisa apenas do interesse do aluno, antes depende muito mais da criatividade e interesse do professor em trabalhar baseado no nível em que o seu público alvo está inserido, partindo sempre do que é significativo para o aluno. A atual prática da avaliação escolar tem mostrado como sua função é muito mais classificação e não o diagnóstico. Essas classificações são determinadas em números que somadas ou divididas tornam-se médias. Entretanto, seguese aqui com uma ideia de avaliação inovadora, com a finalidade de auxiliar na reflexão sobre a prática e retornar a ela, transformando-a como indutora dos próximos currículos.

AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: UMA VIA DE MÃO DUPLA?

DOI: 10.22533/at.ed.9251802126

Palavras chave: Avaliação diagnóstica e formativa; ensino-aprendizagem; Educação Física.

Keywords: Diagnostic and formative evaluation; Teaching-learning; PE.

Abstract:

This chapter aims to investigate the evaluation strategies used in Physical Education classes. The theoretical assumption adopted is that the evaluation methods should be used by the teacher with the intention to diagnose what the students already know, what they need to know, thus analyzing the entire teaching / learning process with a focused look Not only for the student, but also for the teacher. In this way, the reconstruction of the methodological strategies is done, whenever there is a lack of learning through formative evaluation. In this section, the teacher should use the evaluation not for classification but for the construction of the curriculum, placing as an active subject in the acquisition of learning, rather than leaving it to the student’s interest, because when the methodological strategies are efficient Learning takes place, it does not only need the interest of the student, but rather depends much more on the creativity and interest of the teacher in working based on the level at which his target audience is inserted, always starting from what is significant for the student. The current practice of school evaluation has shown how its function is much more classification and not the diagnosis. These classifications are determined in numbers that add up or divide into averages. However, it follows here with an idea of innovative evaluation, with the purpose of assisting in reflection on the practice and returning to it, transforming it as an inductor of the next curricula.

Autores

  • André Ribeiro da Silva
  • André Ribeiro da Silva
  • Eldernan dos Santos Dias
  • Guilherme Lins de Magalhães
  • Jitone Leônidas Soares
  • Ligia Maria Bacelar Schuck Vicenzi
  • Maikel Schuck Vicenzi
  • Vânia Lurdes Cenci Tsukuda