Uma revista magra: como a Veja online aborda a anorexia

O presente artigo tem como objetivo principal analisar como as doenças psíquicas especificamente a anorexia vem sendo tratada pela mídia nacional. Utilizamos como objeto de estudo para esta pesquisa documental, os 53 exemplares do acervo digital da revista Veja do ano de 2016. Foram analisados 1384 anúncios publicitários e 1003 textos jornalísticos. De todo o material estudado, apenas três textos citam o transtorno alimentar de forma indireta, sem aprofundar o assunto. A metodologia utilizada na análise dos dados desta pesquisa documental tem como base um modelo qualitativo com foco na análise de conteúdo. Buscamos observar como a anorexia vem sendo abordada pela mídia nacional. Entendemos que o Ciberjornalismo e as mídias sociais alteram a constituição da subjetividade, dita os padrões de beleza e contribui com o desencadeamento dos transtornos alimentares. No entanto, não vemos nos anúncios e nos textos jornalísticos analisados, nenhuma preocupação com um modelo de saúde-doença que contribua para a prevenção. Assim, a presente pesquisa revela que os textos jornalísticos e os anúncios veiculados na Veja contribuem para reproduzir o modelo biomédico de saúde.

Uma revista magra: como a Veja online aborda a anorexia

DOI: 10.22533/at.ed.26119090112

Palavras chave: Transtorno Alimentar. Anorexia. Doenças Psíquicas. Ciberjornalismo. Revista.

Keywords: Atena

Abstract:

Atena

Autores

  • Bianka Macário