Visualizações

3

PHYSICAL EDUCATION AND HEALTH PROMOTION: PHYSICAL ACTIVITY AS A MEANS OF INTERVENTION IN THE FIELD OF PUBLIC HEALTH

Introdução: A inatividade física é um dos fatores de risco à saúde e está diretamente relacionada ao tabagismo, hábitos alimentares inadequados, etilismo, estresse emocional e problemas cognitivos. As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são consideradas atualmente o principal problema de saúde pública e esta relacionada diretamente com o sedentarismo. Estudos apontam a atividade física como sendo um potencial instrumento de intervenção no campo da saúde pública e coletiva para o enfrentamento das DCNT. Objetivo: fomentar a discussão no meio acadêmico acerca da importância da atividade física no SUS, bem como, a importância da atuação do professor de educação física na saúde pública, por meio de uma breve revisão de literatura. Material e métodos: O trabalho foi realizado por meio de uma pesquisa bibliográfica. Para pesquisa bibliográfica utilizamos artigos publicados nas plataformas Scientific Electronic Library Online (ScIELO) e Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Foram escolhidos os artigos que apresentaram informações relevantes relacionadas ao tema. Resultados: A partir da Publicação da Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS), a atividade física tem sido uma das áreas prioritárias nas ações de promoção da saúde. Entretanto é a partir de 2008, com a criação do Núcleo de Apoio a família (NASF), no intuito de apoiar a consolidação da Unidade Básica de Saúde, que a Educação Física foi contemplada como uma das profissões inclusa no âmbito da saúde pública. Estudos apontam a atividade física como um complemento não farmacológico eficaz na promoção, prevenção e tratamento de doenças crônicas não transmissíveis. O professor de Educação Física que atua na saúde pública, em especial nas UBS, deve ter suas ações pautadas nos princípios doutrinários do SUS, a fim de garantir ao sujeito a universalidade, a equidade, a integralidade e a emancipação. Conclusão: Evidenciou - se por meio da pesquisa bibliográfica, que a atividade física regular contribui positivamente para a saúde e oferece suporte a iniciativas que visam a engajar populações em uma vida fisicamente ativa. A implantação de programas de atividade física pode causar grande impacto na saúde pública, já que atua na prevenção dessas doenças, na diminuição de suas complicações e na redução da prevalência. 

PHYSICAL EDUCATION AND HEALTH PROMOTION: PHYSICAL ACTIVITY AS A MEANS OF INTERVENTION IN THE FIELD OF PUBLIC HEALTH

DOI: 10.22533/at.ed.37421200513

Palavras chave: Professor de educação física; Saúde coletiva; Sistema único de saúde.

Keywords: Physical education teacher; Collective health; Health Unic System.

Abstract:

Introduction: Physical inactivity is one of the health risk factors and is directly related to smoking, inappropriate eating habits, alcoholism, emotional stress and cognitive problems. Chronic non-communicable diseases (NCDs) are currently considered the main public health problem and are directly related to physical inactivity. Studies point to physical activity as being a potential instrument of intervention in the field of public and collective health to face NCDs. Objective: to foster a discussion in the academic environment about the importance of physical activity in SUS, as well as the importance of the physical education teacher's role in public health, through a brief review of the literature. Material and methods: The work was carried out through a bibliographic search. For bibliographic research we used articles published in the Scientific Electronic Library Online (ScIELO) and Virtual Health Library (VHL) platforms. Articles that presented relevant information related to the topic were chosen. Results: Since the publication of the National Health Promotion Policy (PNPS), physical activity has been one of the priority areas in health promotion actions. However, it is from 2008, with the creation of the Family Support Center (NASF), in order to support the consolidation of the Basic Health Unit, that Physical Education was considered as one of the professions included in the scope of public health. Studies point to physical activity as an effective non-pharmacological supplement in the promotion, prevention and treatment of chronic non-communicable diseases. The Physical Education teacher who works in public health, especially in the UBS, must have his actions guided by the doctrinal principles of SUS, in order to guarantee the subject to universality, equity, integrality and emancipation. Conclusion: It was evidenced through bibliographic research, that regular physical activity contributes positively to health and supports initiatives that aim to engage populations in a physically active life. The implementation of physical activity programs can have a major impact on public health, since it acts in the prevention of these diseases, in reducing their complications and in reducing the prevalence.

Autores

  • Kaíne Tavares Silva de Oliveira
  • sarah felipe santos e freitas