Visualizações

3

O USO PROGRESSIVO DA FORÇA EM ABORDAGENS REALIZADAS POR PRAÇAS, CASTANHAL/PARÁ

O artigo trata do uso progressivo da força em abordagens policiais realizadas por Praças do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), na cidade de Castanhal. Identificam-se quais são, como ocorrem e quais as dificuldades encontradas para realizar essas abordagens; se o efetivo do 5° BPM realiza cursos de capacitação; e que reflexões o entrevistados tinham em relação às políticas democráticas de direito. A metodologia incluiu uma visita ao local da pesquisa, identificação dos sujeitos, aplicação de questionários para 10 policiais do Quadro de Praças, transcrição e interpretação dos dados. A análise preferiu a abordagem qualitativa. Os resultados demonstraram que as abordagens empregadas são: verbalização, aproximação com contato físico, identificação do cidadão, revista pessoal e consulta no sistema penal. A verbalização é o procedimento mais frequente. As principais dificuldades encontradas estão relacionadas a fatores naturais, institucionais e de ordem pessoal do sujeito abordado. Foram listadas como entraves institucionais o número limitado de policiais na viatura, armas inapropriadas para a abordagem requerida e a falta de um banco de dados integrado com o sistema de segurança pública. Em relação a cursos de capacitação, eles existem, mas não atendem a todo o efetivo. Sobre o que pensam os entrevistados em relação às políticas democráticas de direito, suas reflexões incidiram sobre a presença e o papel do Estado como também suas próprias práticas como agente de segurança pública. Os entrevistados demonstraram insatisfação com o Estado, uma vez que há poucos investimentos tanto no aparelhamento quanto na formação profissional.

O USO PROGRESSIVO DA FORÇA EM ABORDAGENS REALIZADAS POR PRAÇAS, CASTANHAL/PARÁ

DOI: 10.22533/at.ed.70321120212

Palavras chave: Abordagens Policiais. Uso da Força. Polícia Militar.

Keywords: Police approaches. Use of Force. Military Police

Abstract:

The article deals with the progressive use of force in police approaches carried out by Squares of the 5th Military Police Battalion (BPM), in the city of Castanhal. They identify what they are, how they occur and what difficulties are encountered in carrying out these approaches; if the 5th BPM staff conducts training courses; and what reflections the interviewees had in relation to democratic policies of law. The methodology included a visit to the research site, identification of the subjects, application of questionnaires to 10 police officers from the Squares Board, transcription and interpretation of data. The analysis preferred the qualitative approach. The results showed that the approaches used are: verbalization, approximation with physical contact, identification of the citizen, personal search and consultation in the penal system. Verbalization is the most frequent procedure. The main difficulties encountered are related to natural, institutional and personal factors of the subject addressed. The limited number of police officers on the vehicle, weapons inappropriate for the required approach and the lack of a database integrated with the public security system were listed as institutional barriers. In relation to training courses, they exist, but they do not meet all staff. On what the interviewees think about democratic policies of law, their reflections focused on the presence and role of the State as well as their own practices as a public security agent. The interviewees showed dissatisfaction with the State, since there is little investment in both equipment and professional training.

Autores

  • Jess Elly Lima de Lima
  • Reinaldo Eduardo da Silva Sales