Visualizações

1

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: um campo político em aberto

Neste trabalho buscamos construir a trajetória da Educação de Jovens e Adultos e sua relação com a Educação Popular, evidenciando como essas duas formas de realizar essa prática de ensino estiveram entrelaçadas no contexto histórico de nosso país e qual foi a compreensão de cada governo sobre a EJA. Este estudo trata-se de uma parte da dissertação “Movimento de Educação de Base (MEB): contribuições da Jornada Comunitária para formação política dos sujeitos sociais”, para a qual fizemos uma revisão de literatura e utilizamos a entrevista semiestruturada para coleta de dados. Como método de análise, buscamos uma aproximação com o materialismo histórico dialético. Concluímos que a EJA e a Educação Popular caminharam juntas na América Latina, apresentando altos e baixos em sua trajetória, o que revela que essa modalidade de ensino ainda não é tratada com a devida atenção pelos representantes brasileiros.

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: um campo político em aberto

DOI: 10.22533/at.ed.81921010217

Palavras chave: Educação de Jovens e Adultos. Educação Popular. Políticas Públicas.

Keywords: Youth and Adult Education. Popular Education. Public policies.

Abstract:

In this work we seek to build the trajectory of Youth and Adult Education and its relationship with Popular Education, showing how these two ways of performing this teaching practice were intertwined in the historical context of our country and what was the understanding of each government about EJA. This study is part of the dissertation “Basic Education Movement (BEM): contributions from the Community Day for political training of social subjects”, for which we did a literature review and used the semi-structured interview for data collection. As a method of analysis, we seek an approximation with dialectical historical materialism. We conclude that EJA and Popular Education walked together in Latin America, showing ups and downs in their trajectory, which reveals that this teaching modality is still not treated with appropriate attention by Brazilian representatives.

Autores

  • Elinete Pereira dos Santos