Visualizações

4

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E QUALIDADE DE SONO EM PACIENTES HIPERTENSOS REFRATÁRIOS ADSCRITOS A UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ

Atualmente, a inatividade física vem cooperando para o aumento do sedentarismo e seus malefícios associados à saúde e ao bem-estar do individuo. Em associação com uma alimentação excessiva e errônea para um estilo de vida incorreto, o sedentarismo pode contribuir para o aparecimento da hipertensão arterial sistêmica. Em alguns casos, a hipertensão arterial apresenta-se como resistente/refratária à medicamentos, permanecendo acima da meta, apesar do uso de doses eficazes das três classes de fármacos anti-hipertensivos, incluindo um diurético. Este trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade de vida e qualidade de sono de pacientes com hipertensão arterial refratária (HAR) adscritos na Estratégia Saúde da Família (ESF) do bairro Vila São José, do município de Araranguá/SC, que utilizam diurético como um dos seus medicamentos anti-hipertensivos. Os indivíduos analisados apresentaram, em sua maioria, distúrbios do sono e baixa qualidade de vida. É possível que a utilização de diuréticos no tratamento da hipertensão refratária possa levar à fragmentação do sono, ocasionada pelos despertares noturnos para urinar (noctúria), prejudicando e reduzindo consideravelmente o tempo e o aproveitamento de um sono reparador. Assim, diuréticos podem influenciar de forma negativa a qualidade do sono do hipertenso, refletindo, consequentemente, em baixa qualidade de vida.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E QUALIDADE DE SONO EM PACIENTES HIPERTENSOS REFRATÁRIOS ADSCRITOS A UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ

DOI: 10.22533/at.ed.0762109022

Palavras chave: hipertensão arterial sistemica refrataria, qualidade de vida, qualidade do sono

Keywords: Refractory arterial hypertension. Quality of life. Sleep quality.

Abstract:

The current levels of physical inactivity have cooperated to increase the sedentary lifestyle, leading to damages in health and individual wellness. In association with excessive and erroneous feeding for an incorrect lifestyle, the sedentary behaviour may contribute to the systemic arterial hypertension. In some cases, hypertension appears to be drug resistant, remaining above the levels despite the use of effective doses of all three classes of anti-hypertensives, including a diuretic. In this study, the quality of life and sleep was evaluated in patients with refractory arterial hypertension enrolled in the Family Health Strategy of the Vila São José, in the city of Araranguá/SC, using diuretics as one of their antihypertensive drugs. Most of the analyzed patients had sleep disorders and low quality of life. It is possible that the use of diuretics to treat the refractory hypertension may lead to the fragmentation of sleep, leading to nocturnal awakenings to urinate (nocturia), damaging and reducing the time and quality of the sleep. Thus, diuretics may negatively influence the quality of sleep of the hypertensive patient, reflecting, consequently, in a poor quality of life.

Autores

  • Robson Pacheco
  • Katyele Espindola