Lesão por pressão em pacientes internados em unidade de terapia intensiva

Objetivo: identificar a prevalência de lesão por pressão em pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva e os escores de risco para a ocorrência dessas lesões, segundo a Escala de Braden. Método: estudo exploratório, descritivo, quantitativo, desenvolvido com 45 pacientes da UTI de um hospital público de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Os dados foram coletados através de formulário contendo dados sociodemográficos e clínicos e aplicação da Escala de Braden, e foram analisados através da estatística descritiva. Resultados: prevalência de 37.8% de LPP. Dos que desenvolveram LPP, 15 (88,2%) estavam classificados em alto risco, e as categorias atividade (acamado) e fricção e cisalhamento (problema) foram as mais afetadas, segundo a Escala de Braden. Conclusão: conhecer a prevalência e o risco de LPP nos pacientes críticos favorece a tomada de decisões e direcionamento dos cuidados prestados.

Lesão por pressão em pacientes internados em unidade de terapia intensiva

DOI: 10.22533/at.ed.92518021229

Palavras chave: Lesão por pressão, unidade de terapia intensiva, prevalência.

Keywords: Injury by pressure, intensive care unit, prevalence

Abstract:

Objective: To identify the prevalence of pressure injury in patients admitted to the Intensive Care Unit and the risk scores for the occurrence of these lesions, according to the Braden Scale. Method: an exploratory, descriptive, quantitative study with 45 ICU patients from a public hospital in João Pessoa, Paraiba, Brazil. Data were collected through a form containing sociodemographic and clinical data and application of the Braden Scale, and were analyzed through descriptive statistics. Results: prevalence of 37.8% of LPP. Of those who developed LPP, 15 (88.2%) were classified as high risk, and the categories of activity (bedding) and friction and shear (problem) were the most affected according to the Braden Scale. Conclusion: knowing the prevalence and risk of LPP in critically ill patients favors decision making and targeting of care.

Autores

  • Rafaela Trindade do Ó Caminha