Visualizações

13

A FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E SUA POLÍTICA PÚBLICA EM LAGES, (SC): UMA ANÁLISE A PARTIR DA PERCEPÇÃO DOS FEIRANTES.

O objetivo deste texto é colocar em cena a feira de economia solidária e a correspondente política pública no município de Lages, Santa Catarina, tendo como referência de análise a percepção dos feirantes agricultores familiares que comercializam seus produtos na Feira Municipal de Economia Solidária. Contextualiza-se brevemente a economia solidária em âmbito de Brasil, Santa Catarina e a região do Planalto Catarinense, seguido da caracterização da feira municipal destacando sua relevância e lógica mercantil distinta do mercado capitalista. Busca-se saber as motivações para participar da feira, a sua importância e os conhecimentos relativos à economia solidária e à política pública. A relevância desta investigação reside no fato de Lages, desde 2014, ter uma Lei Municipal e um Conselho de Economia Solidária, portanto, desenvolve-se uma política pública colocando a feira num lugar de proeminência por materializar e publicizar empreendimentos e os produtos gerados pela economia solidária. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória. Para alcançar seus objetivos metodologicamente realiza-se uma pesquisa bibliográfica e de campo no qual aplica-se um questionário semiestruturado para realização de entrevistas com os feirantes. Dos resultados esperados, a expectativa é de que esta reflexão proporcione maior visibilidade desta “outra economia”, fortaleça a presença da feira e estimule o engajamento dos entes que compõem e desenvolvem a política pública municipal: empreendimentos econômicos solidários, entidades apoiadoras e o poder público.

A FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E SUA POLÍTICA PÚBLICA EM LAGES, (SC): UMA ANÁLISE A PARTIR DA PERCEPÇÃO DOS FEIRANTES.

DOI: 10.22533/at.ed.1551820122

Palavras chave: Economia solidária; Feira de economia solidária; Política Pública.

Keywords: Solidarity economy; Solidarity economy fair; Public policy.

Abstract:

The objective of this text is to put on the scene the fair of solidarity economy and the corresponding public policy in the municipality of Lages, Santa Catarina, having as reference of analysis the perception of the farmers family farmers who market their products in the Municipal Fair of Solidary Economy. The solidarity economy in the context of Brazil, Santa Catarina and the region of Planalto Catarinense is briefly contextualized, followed by the characterization of the municipal fair, highlighting its the distinct mercantile relevance and logic of the capitalist market. It seeks to know the motivations to participate in the fair, its importance and knowledge regarding solidarity economy and public policy. The relevance of this research lies in the fact that since 2014 Lages has a Municipal Law and a Solidarity Economy Council, therefore, a public policy is developed placing the fair in a place of prominence for materializing and publicizing enterprises and products generated by the economy solidarity. It is a qualitative, descriptive and exploratory research. In order to achieve its objectives methodologically, a bibliographical and field research is carried out in which a semistructured questionnaire is applied to conduct interviews with the marketers. Of the expected results, this reflection is expected to provide greater visibility of this “other economy”, to strengthen the presence of the fair and to stimulate the engagement of the entities that compose and develop the municipal public policy: solidary economic enterprises, supporting entities and the public power.

Autores

  • João Eduardo Branco de Melo