Visualizações

33

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS NO CONTROLE DA DOENÇA DIABETES MELLITUS

Diabetes Mellitus (DM) é uma síndrome metabólica e endocrinológica que cursa com imporantes modificações nos índices de glicemia, colesterol e triglicerídios. O DM é apresentado pela literatura científica com uma relação com processos infecciosos e à geração de radicais livres. Estudos apontam que a inibição da atividade de algumas enzimas digestivas por meio dos extratos de certas plantas promove redução da hiperglicemia e consequentemente culmina no controle da Diabetes. Desse modo, é oportuno avaliar quais as principais plantas medicinais utilizadas cientificamente para inibição de enzimas, como a alfa-amilase, a alfa-glicosidase e a lipase, além disso faz-se importante a análise da atividade antioxidante do extrato das mesmas frente às infecções. Foi realizada, então, um estudo de revisão nas plataformas PubMed e Scholar Google utilizando as seguintes palavras-chave: "diabetes and medical plants and in vitro", no período de tempo de 2013 à 2017, excluindo revisões. Chegou-se ao resultado que as famílias de plantas medicinais mais utilizadas para controle do Diabetes Mellitus foram Myrtaceae (20%), Asteraceae (13%), Lamiaceae (13%), Annonaceae (13%). A parte mais utilizada da planta foram as folhas (20%). Os solventes mais utilizados foram o extrato etanólico (23%) e com uso de frações (23%). Por fim, foi possível perceber que a inibição da alfa-glicosidase ocorreu em 38% dos casos, inibição da alfa-amilase em 21% e inibição da lipase em 7%. Além disso, houve atividade antioxidante e inibição da captação da glicose diretamente e do efeito glicêmico. Portanto, foi possível perceber que alguns extratos de plantas medicinais em ensaios in vitro dissolvidos possuem a capacidade fitoterápica de controle do Diabetes Mellitus.

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS NO CONTROLE DA DOENÇA DIABETES MELLITUS

DOI: 10.22533/at.ed.08321020216

Palavras chave: Diabetes Mellitus. Plantas Medicinais. Fitoterapia.

Keywords: Diabetes Mellitus. Medicinal Plants. Phytotherapy.

Abstract:

Diabetes Mellitus (DM) is a metabolic and endocrine syndrome that occurs with imposing changes in blood glucose, cholesterol and triglyceride sindictities. DM is presented by the scientific literature with a relationship with infectious processes and the generation of free radicals. Studies indicate that the inhibition of the activity of some digestive enzymes through the extracts of certain plants promotes reduction of hyperglycemia and consequently culminates in the control of Diabetes. Thus, it is opportune to evaluate which main medicinal plants are scientifically used to inhibit enzymes, such as alpha-amylase, alpha-glycosidase and lipase, and it is also important to analyze the antioxidant activity of the extract of the same in relation to infections. A review study was then conducted on the PubMed and Scholar Google platforms using the following keywords: "diabetes and medical plants and in vitro", in the period from 2013 to 2017, excluding reviews. It was found that the families of medicinal plants most used to control Diabetes Mellitus were Myrtaceae (20%), Asteraceae (13%), Lamiaceae (13%), Annonaceae (13%). The most used part of the plant was leaves (20%). The most used solvents were ethanol extract (23%) and using fractions (23%). Finally, it was possible to notice that alpha-glycosidase inhibition occurred in 38% of the cases, inhibition of alpha-amylase in 21% and inhibition of lipase in 7%. In addition, there was antioxidant activity and inhibition of glucose uptake directly and glycemic effect. Therefore, it was possible to notice that some extracts of medicinal plants in dissolved in vitro assays have the phytotherapeutic capacity of Diabetes Mellitus.

Autores

  • Danielle Cristina Honorio França
  • Karolyni Lesley Diniz SantAnna
  • Mariana da Silva Honorio