Visualizações

6

ESCALA DE AUTOESTIMA EM GESTANTES DE RISCO: FATORES SOCIAIS E OBSTÉTRICOS CORRELACIONADOS

O objetivo deste estudo é correlacionar os fatores sociais e obstétricos com a Escala de Autoestima em gestantes de risco. Utilizou-se, para tal, de materiais e métodos que conferem, a este estudo, o caráter quantitativo, descritivo, transversal, tipo pesquisa de campo. A amostra foi composta por 112 gestantes de alto risco. Utilizou-se a Escala de Autoestima Rosenberg (EAR), adaptada no Brasil por Hutz em 2000, bem como um questionário sobre questões socioeconômicas e obstétricas. Para a análise dos dados, utilizou-se um modelo ajustado de regressão univariada de Poisson e dois modelos multivariados e apresentados em forma de tabela. Dos resultados encontrados, através da análise das amostras, mostrou que 72,3% das gestantes apresentaram autoestima insatisfatória. Conclui-se que os principais fatores que levam as gestantes de alto risco a desenvolverem uma autoestima baixa relacionam-se à baixa escolaridade, à falta de ocupação e a cirurgias cesarianas. Aponta-se que isso contribui para uma preocupação científica em se instituir tecnologias que promovam a melhoria do bem-estar físico e mental das gestantes.

ESCALA DE AUTOESTIMA EM GESTANTES DE RISCO: FATORES SOCIAIS E OBSTÉTRICOS CORRELACIONADOS

DOI: 10.22533/at.ed.7932109047

Palavras chave: Autoimagem; Obstetrícia; Gravidez de Alto Risco; Saúde da Mulher.

Keywords: Self-image; Obstetrics; High-Risk Pregnancy; Women’s Health.

Abstract:

The aim of this study is to correlate social and obstetric factors with the Self-Esteem Scale in at-risk pregnant women. For this purpose, the materials and methods used classified this study as quantitative, descriptive, cross-sectional, field research type. The sample consisted of 112 high-risk pregnant women. The Rosenberg Self-Esteem Scale (RSES), adapted in Brazil by Hutz in 2000, as well as a questionnaire on socioeconomic and obstetric issues were used. Data analysis used an adjusted model of univariate Poisson regression and two multivariate models presented as tables. Of the results found, through the analysis of the samples, 72.3% of the pregnant women presented unsatisfactory self-esteem. In conclusion, the main factors that lead high-risk pregnant women to develop low self-esteem are related to low schooling, lack of occupation and cesarean surgeries. It is pointed out that this contributes to a scientific concern in establishing technologies promoting improved physical and mental well-being of pregnant women.

Autores

  • Liniker Scolfild Rodrigues da Silva
  • Eliana Lessa Cordeiro
  • Edivaldo Bezerra Mendes Filho
  • Cristina Albuquerque Douberin
  • Karla Roberta Leite de Lima
  • Vanessa Regina Oliveira Tavares
  • Elísio Marques Madureira Lelis
  • Eduarda Martins Cabral
  • Karinne Ferreira de Souza
  • Laydson Adrian Araújo
  • Ianne Larisse Alves Ferreira
  • Renato Willamy da Silva Costa