Visualizações

10

CORRELAÇÃO ENTRE GESTANTES DE ALTO RISCO E NÍVEIS DE ANSIEDADE E AUTOESTIMA

O objetivo do presente estudo é correlacionar os níveis de ansiedade e de autoestima em grávidas de alto risco e seus respectivos dados obstétricos. Os materiais e métodos utilizados basearam-se num estudo transversal, com instrumento de abordagem quantitativa do tipo descritiva dos dados. A população deste estudo foi constituída por 126 gestantes encaminhadas ao setor de alto risco do Hospital Agamenon Magalhães (HAM), no período de1 de abril a 31 de junho de 2016.Foram incluídas gestantes maiores de 18 anos, atendidas nos serviços de atendimento de alto risco e excluídas as puérperas, gestantes portadoras de algum transtorno mental prévio e/ou com deficiência auditiva que não saiba ler. A coleta de dados procede-se com a aplicação da Escala de Autoestima de Rosenberg (EAR) e Escala de Ansiedade de Beck (EAB), bem como um questionário com dados obstétricos. Utilizaram-se para a análise dos dados a análise inferencial através do teste Qui-quadrado de Pearson e teste Exato de Fisher. Nos resultados, observou-se que a ansiedade esteve presente em 60,7% das participantes; e autoestima insatisfatória ocorreu em 72,3% das gestantes, sendo mais frequente no terceiro trimestre. Conclui-se, portanto, que a ansiedade e a baixa autoestima se mostraram frequentes na gestação de alto risco. O conhecimento dos fatores associados à sua ocorrência oportuniza a elaboração de medidas preventivas na assistência pré-natal.

CORRELAÇÃO ENTRE GESTANTES DE ALTO RISCO E NÍVEIS DE ANSIEDADE E AUTOESTIMA

DOI: 10.22533/at.ed.7932109044

Palavras chave: Autoimagem; Ansiedade; Gravidez de Alto Risco; Saúde Mental.

Keywords: Self-image; Anxiety; High Risk Pregnancy; Mental Health.

Abstract:

The aim of this study is to correlate anxiety and self-esteem levels in high-risk pregnant women and their respective obstetric data. The materials and methods used were based on a cross-sectional study, with a quantitative data approach instrument of the descriptive type. The population of this study consisted of 126 pregnant women referred to the high-risk sector of the Agamenon Magalhães Hospital (HAM), from April 1 to June 31, 2016.Pregnant women over 18 years of age, met in high-risk care services were included, excluding puerperal women, pregnant women with some previous mental disorder and/or with hearing impairment unable to read. Data collection was carried out with the application of the Rosenberg Self-Esteem Scale (RSES) and Beck Anxiety Scale (BAS), as well as a questionnaire with obstetric data. Inferential analysis was used for data analysis using Pearson’s Chi-square test and Fisher’s Exact test. The results showed that anxiety was present in 60.7% of the participants; and unsatisfactory self-esteem occurred in 72.3% of pregnant women, being more frequent in the third trimester. Therefore, anxiety and low self-esteem were frequent in high-risk pregnancy. The knowledge of the factors associated with its occurrence provides opportunities for the elaboration of preventive measures in prenatal care.

Autores

  • Liniker Scolfild Rodrigues da Silva
  • Eliana Lessa Cordeiro
  • Edivaldo Bezerra Mendes Filho
  • Cristina Albuquerque Douberin
  • André Buarque Lemos
  • Andrea de Almeida Vasconcelos Nogueira
  • Patrícia Paiva de Mendonça
  • Larissa Alane Costa Oliveira
  • Laryssa Grazielle Feitosa Lopes
  • Mariana Batista da Silva
  • Mariana Farias Gomes
  • Carlos Tiago da Silveira Chaves