Visualizações

11

AUTOESTIMA DE MULHERES COM GESTAÇÃO DE ALTO RISCO

O presente artigo tem o objetivo de analisar a autoestima das gestantes internadas em enfermaria de alto risco de um hospital de referência da cidade do Recife. Tratar-se de um estudo descritivo, transversal com abordagem quantitativa. A população amostral incluiu 112 gestantes. A coleta de dados foi realizada por meio de um formulário adaptado da versão no Brasil da Escala de Autoestima de Rosenberg (EAR), acrescido de questões socioeconômicas, obstétricas e reprodutivas. Foram incluídas gestantes internadas no setor de alto risco e excluídas gestantes com idade menor de 18 anos, bem como, aquelas que apresentaram incapacidade de compreensão e/ou de verbalização para responder ao formulário. A análise dos dados foi realizada por meio de estatística descritiva e os resultados apresentados em forma de tabelas. Quanto aos dados sociodemográficos, os resultados encontrados apresentam as características do grupo total de gestantes pesquisadas no qual destaca-se que: a faixa etária mais prevalente foi 21 a 25 anos (38,4%), a maioria (65,2%) teve a gravidez indesejada/não planejada. Observou-se, também, que 72,3% apresentaram autoestima insatisfatória. Conclui-se que baixa autoestima apresentou-se elevada em mulheres com gestação de alto risco. Reconhece-se que é necessário a atualização/capacitação dos profissionais de saúde das maternidades de alto risco na identificação de sinais de sintomas de baixa autoestima nessa população com a finalidade de oferecer acolhimento e atendimento adequado.

AUTOESTIMA DE MULHERES COM GESTAÇÃO DE ALTO RISCO

DOI: 10.22533/at.ed.7932109042

Palavras chave: Autoimagem; Gravidez de Alto Risco; Assistência Integral à Saúde; Saúde Mental.

Keywords: Self-image; High-Risk Pregnancy; Comprehensive Health Care; Mental Health.

Abstract:

This article aims to analyze the self-esteem of pregnant women hospitalized in a high-risk ward of a reference hospital in the city of Recife. This is a descriptive, cross-sectional study with a quantitative approach. The sample population included 112 pregnant women. Data collection was performed through a form adapted from the Brazilian version of the Rosenberg Self-Esteem Scale (RSES), plus socioeconomic, obstetric and reproductive questions. Pregnant women hospitalized in the high-risk sector were included, excluding pregnant women underage, as well as those who had inability to understand and/or verbalize to answer the form. Data analysis was performed using descriptive statistics and the results were presented as tables. Regarding sociodemographic data, the results found show the characteristics of the total group of pregnant women surveyed, highlighting that: the most prevalent age group was 21 to 25 years (38.4%), the majority (65.2%) had unwanted/unplanned pregnancy. Furthermore, 72.3% had unsatisfactory self-esteem. The conclusion is that low self-esteem was high in women with high-risk pregnancy. There is need to update/train health professionals in high-risk maternity hospitals in the identification of signs of symptoms of low self-esteem in this population in order to provide adequate care and embracement.

Autores

  • Liniker Scolfild Rodrigues da Silva
  • Eliana Lessa Cordeiro
  • Edivaldo Bezerra Mendes Filho
  • Cristina Albuquerque Douberin
  • Francisca Márcia Pereira Linhares
  • Letícia Alessandra de Oliveira
  • Ronalberto Lopes de Araujo
  • Luiz Valério Soares da Cunha Junior
  • Rosimery Rodrigues de Almeida Mendes
  • Emanuela Batista Ferreira e Pereira
  • Viviane Maria Ribeiro Pina
  • Joel Azevedo de Menezes Neto