Visualizações

5

Síntese e caracterização de Psedoboemita (PB) estruturada com nanocarga contendo Óxido de grafeno (GO)

A Pseudoboemita (PB) usada no presente trabalho foi feita através do processo sol-gel, formando um oxihidróxido de alumínio, da mistura de nitrato de alumínio e álcool polivinílico [1], a fim de aumentar a homogeneidade nas dimensões (AIOOH.XH20), inserindo pontes de Vander Waals, auxiliando na estruturação de outros materiais. Por ter um caráter cerâmico, tem se mostrado eficaz, aumentando a temperatura de transição vítrea, quando inserido em outros materiais. Além disso, PB pode ser envelhecida para aumentar a cristalização e modificar suas propriedades de área específicas. O óxido de grafeno (GO) aplicado na PB foi obtido pelo método de Hummers [2], modificado para o tempo de síntese, garantindo um óxido de grafite muito oxidado e disperso, o que possibilitou um excelente revestimento da PB devido à alta reatividade superficial. A mistura foi realizada em diferentes amostras por diluição e agitação em água deionizada, evaporação quebrada e liofilizada, sempre apresentando PB em alta concentração e GO como dopante nas seguintes proporções: 0,1/1000; 0,6/1000; 1/1000; 2/1000. Um composto de PB nanoestruturado com GO foi analisado e os resultados da Microscopia Eletrônica de Varredura mostraram que o GO cobriu completamente a PB, deixando-a com excelente reatividade devido às propriedades de sua área específica. Essa observação foi confirmada pela Espectroscopia Raman, que apresentou curvas GO características, apontando para o seu revestimento. A análise por difração de raios X mostra o caráter cerâmico da PB como predominante mesmo com o material misturado ao GO, que além de suas propriedades cerâmicas, ainda ganha resistência, propriedades elétricas e reatividade superficial devido a sua alta área específica.

Síntese e caracterização de Psedoboemita (PB) estruturada com nanocarga contendo Óxido de grafeno (GO)

DOI: 10.22533/at.ed.66220181110

Palavras chave: Pseudoboemita (PB). Óxido de grafeno (GO). Nanomateriais.

Keywords: Pseudoboehmite (PB). Graphene oxide (GO). Nanomaterials.

Abstract:

The Pseudoboehmite (PB) used in the present work was made by the sol-gel process, forming an aluminum oxyhydroxide, from the mixture of aluminum nitrate and polyvinyl alcohol [1], in order to increase the homogeneity in the dimensions (AlOOH.xH2O), inserting Van der Waals bridges, helping in the structuring of other materials. Because it has a ceramic character, it has been shown to be effective, increasing the glass transition temperature, when inserted in other materials. In addition, PB can be aged to increase crystallization and modify its specific area properties. The graphene oxide (GO) applied in PB was obtained by the method of Hummers [2], modified for the synthesis time, guaranteeing a very oxidized and dispersed graphite oxide, which made possible an excellent coating of PB due to the high surface reactivity. The mixture was carried out in different samples by dilution and agitation in deionized water, broken evaporation and lyophilization, always presenting PB in high concentration and GO as dopant in the following ratios: 0,1/1000; 0,6/1000; 1/1000; 2/1000. A composite of PB nanostructured with GO was designed and the results of Scanning Electron Microscopy showed that the GO completely covered the PB, leaving it with excellent reactivity due to its specific area properties. This observation was confirmed by Raman Spectroscopy, which presented characteristic GO curves, pointing to its coating. The analysis by X-ray diffraction shows the ceramic character of PB as predominant even with the material mixed with GO, which besides its ceramic properties, still gains resistance, electrical properties and superficial reactivity due to its high specific area.

Autores

  • Fábio Jesus Moreira De Almeida
  • Antonio Hortencio Munhoz Jr
  • Bruno Luís Soares De Lima
  • Igor José Dester Ladeira
  • Karina Laura Fernandes Cardoso
  • Leila Figueiredo de Miranda
  • Nei Carlos Oliveira Souza