Visualizações

4

INCIDÊNCIA DE CASOS DAS DOENÇAS ENDÊMICA PARASITÁRIAS NO ESTADO DE RONDÔNIA, BRASIL.

No decorrer dos últimos 5 anos, Rondônia obteve muitos casos de doenças extremamente endêmicas, transmitidas através dos parasitas Anopheles, Flebótomideos, Schistosoma e Trypanosoma cruzi, desenvolvendo as doenças da Malária, Leishmaniose, Esquistossomose e Chagas. Suas transmissões ocorreram por vetores presentes em quantidades significativas no estado, devido as frequentes chuvas que ocorrem no período de outubro a abril de todos os anos, o que proporciona a reprodução dos mesmos. Mas porque o Estado de Rondônia é considerado endêmico para tais doenças? Esse questionamento foi respondido através do levantamento de dados e registros que o Ministério da Saúde apresenta todos os anos, além da ocupação do homem na floresta e seu modo de vida desde a ocupação no Estado. O objetivo deste trabalho foi realizar um levantamento bibliográfico das incidências das doenças parasitárias endêmicas Malária, Leishmaniose, Esquistossomose e Chagas no estado de Rondônia, apresentando a situação epidemiológica atual das doenças e qual tratamento eficaz. A Malária no fim da década de 80 apresentava cerca de 300 mil casos em Rondônia, o que com esforços dos agentes de saúde e da população foi reduzindo esse número. A Doença Leishmaniose que nos primórdios da ocupação do Estado de Rondônia, nem era citada como problema endêmico, vem apresentando aumentos significativos na população dos municípios, assim como a doença de Chagas e a Esquistossomose. Uma ação preventiva associada a um tratamento eficaz pode diminuir a incidência de casos, aumentado a qualidade de vida da população.

INCIDÊNCIA DE CASOS DAS DOENÇAS ENDÊMICA PARASITÁRIAS NO ESTADO DE RONDÔNIA, BRASIL.

DOI: 10.22533/at.ed.64820201115

Palavras chave: Doença Tropical, Malária, Leishmaniose, Esquistossomose e Chagas

Keywords: Tropical disease, malaria, leishmaniasis, schistosomiasis and Chagas

Abstract:

In the last 5 years, Rondônia has had many cases of extremely endemic diseases, transmitted through the parasites Anopheles, Phlebotomids, Schistosoma and Trypanosoma cruzi, developing the diseases of Malaria, Leishmaniasis, Schistosomiasis and Chagas. Its transmissions occurred by vectors present in significant quantities in the state, due to the frequent rains that occur from October to April of every year, which provides for reproduction. But why is the State of Rondônia considered endemic for such diseases? This question was answered through the survey of data and records that the Ministry of Health presents every year, in addition to the occupation of man in the forest and his way of life since the occupation in the State. The objective of this work was to carry out a bibliographic survey of the incidence of parasitic diseases endemic Malaria, Leishmaniasis, Schistosomiasis and Chagas in the state of Rondônia, presenting the current epidemiological situation of the diseases and which effective treatment. Malaria in the late 1980s had about 300 thousand cases in Rondônia, which with the efforts of health agents and the population was reducing this number. Leishmaniasis disease, which in the early days of the occupation of the State of Rondônia, was not even mentioned as an endemic problem, has been showing significant increases in the population of the municipalities, as well as Chagas disease and Schistosomiasis. A preventive action associated with an effective treatment, can decrease the incidence of cases, increasing the quality of life of the population.

Autores

  • ROSINAIDE VALQUIRIA LENZI
  • JEANE ROSA DOS REIS DA SILVA
  • JEFFERSON RODRIGO OLIVEIRA DE PAULA
  • UDAVERSON MAICON ROSA
  • Andrea Fagundes Grava