Visualizações

7

ATRIBUTOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS DO SOLO EM ÁREAS SOB DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO NO ESTADO DE GOIÁS

Como alternativa de madeira nobre para atender ao mercado futuro, o mogno-africano vem ganhando espaço no Brasil, principalmente a espécie Khaya ivorensis A. Chev. graças aos bons resultados apresentados em pesquisas da Embrapa. Esta espécie tem grande importância econômica em função do seu elevado valor comercial e por ter crescimento relativamente rápido, o que possibilita a recuperação de áreas degradadas. Além disto, o mogno-africano apresenta resistência à broca-do-ponteiro, comum no mogno-brasileiro, o que representa uma vantagem técnica e econômica do mogno-africano. A perspectiva de mercado é positiva e se baseia na crescente demanda por produtos oriundos da madeira de Khaya spp. em escala mundial. Em vista de aliviar a pressão na extração da madeira em locais naturais de origem, o plantio florestal é uma alternativa presente e que ganha espaço em diferentes locais do mundo. Entretanto, há uma carência de informações que definam as condições ideais para a implantação da cultura do mogno-africano, podendo ter reflexos em menor produção e, consequentemente, prejuízos financeiros e na avaliação da qualidade do solo em monocultivo de mogno africano e em sistemas agroflorestais. Diante desta complexidade de potenciais benefícios, têm se procurado evidenciar a contribuição dos SAFs na conservação do solo, através de indicadores da qualidade do solo. O presente estudo tem como objetivos estudar a qualidade do solo, especialmente, nos estudos dos atributos químicos e biológicos, no monocultivo de mogno africano e na sua interação em sistemas agroflorestais no cerrado goiano, acreditando que a adoção de práticas de manejo conservacionista do solo é crescente em função da preocupação sobre a manutenção da qualidade do solo.

ATRIBUTOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS DO SOLO EM ÁREAS SOB DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO NO ESTADO DE GOIÁS

DOI: 10.22533/at.ed.7332013102

Palavras chave: Khaya spp., sistemas agroflorestais, Cerrado

Keywords: khaya spp., agroforestry systems, Cerrado

Abstract:

As a noble wood alternative to serve the future market, African mahogany has been gaining space in Brazil, mainly the species Khaya ivorensis A. Chev. thanks to the good results presented in Embrapa research. This species has great economic importance due to its high commercial value and for having relatively fast growth, which allows the recovery of degraded areas. In addition, African mahogany has resistance to the pointer borer, common in Brazilian mahogany, which represents a technical and economic advantage of African mahogany. The market outlook is positive and is based on the growing demand for products from Khaya spp. on a world scale. In order to relieve pressure on the extraction of wood in natural places of origin, forest planting is a present alternative and gaining space in different locations around the world. However, there is a lack of information that defines the ideal conditions for the implantation of the African mahogany culture, which may have consequences in lower production and, consequently, financial losses and in the evaluation of the soil quality in African mahogany monoculture and in agroforestry systems. . In view of this complexity of potential benefits, efforts have been made to highlight the contribution of SAFs in soil conservation, through indicators of soil quality. The present study aims to study soil quality, especially in the study of chemical and biological attributes, in the African mahogany monoculture and in its interaction in agroforestry systems in the Cerrado of Goiás, believing that the adoption of soil conservation management practices is increasing due to concerns about maintaining soil quality.

Autores

  • Larissa Gabriela Marinho da Silva
  • Eliana Paula Fernandes Brasil
  • Wilson Mozena Leandro
  • Aline Assis Cardoso
  • Welldy Gonçalves Teixeira
  • Cristiane Ribeiro da Mata
  • Tamara Rocha dos Santos
  • Mariana Aguiar Silva
  • Leonardo Rodrigues Barros
  • Joyce Vicente do Nascimento
  • Caio de Almeida Alves
  • Caio César Magalhães Borges