Amazônia: As Nuances Comunicacionais aos Olhos da Estratégia Eleitoral/Governamental de Jair Bolsonaro e Emmanuel Macron

Comumente, a aparição de polêmicas e questionamentos, assim como discussões e efemérides, abrem um leque de iniciativas para que as lideranças governamentais evidenciem seus posicionamentos, que exponham seus ideais e que reiterem seus desejos. As comunicações eleitoral e governamental, embora de competências paralelas, estão intrinsecamente interligadas e, em longo prazo, refletem uma a outra. Parte desta dinâmica demonstra a importância de um discurso coerente para a corroboração da credibilidade do elegível/elegido, já que este, a todo o momento, é avaliado por diversas estruturas político-sociais que determinam a base na qual, inevitavelmente, está sustentado. Cabe a tal indivíduo, portanto, desenvolver, em ordem de adquirir uma boa imagem, a evidência física de sua eloquência e a tangibilidade de suas promessas. É o caso de Jair Bolsonaro e Emmanuel Macron, que, ao longo das chamas da Amazônia, levantaram questões pertinentes não somente à respeito da floresta, mas também, convenientemente, para uma parte de seu público eleitoral.

Amazônia: As Nuances Comunicacionais aos Olhos da Estratégia Eleitoral/Governamental de Jair Bolsonaro e Emmanuel Macron

DOI: 10.22533/at.ed.74020161012

Palavras chave: Amazônia; comunicação; estratégia; geopolítica

Keywords: Amazônia; communication; strategy; geopolitics

Abstract:

Commonly, the appearance of controversies, as well as events and it’s discussions, creates a range of initiatives for government leaders to highlight their positions, to expose their ideals and to reiterate their desires. Electoral and governmental communications, while having parallel competences, are intrinsically interconnected and, in the long term, reflect on each other. Part of this dynamic demonstrates the importance of a coherent speech to corroborate the credibility of the eligible / elected, since this one, at all times, is evaluated by several political and social structures that determine the basis on which, inevitably, is sustained. It is up to such an individual, therefore, to develop, in order to acquire a good image of himself, the physical evidence of his eloquence and the tangibility of his promises. This is the case of Jair Bolsonaro and Emmanuel Macron, who, throughout the Amazon’s flames, raised pertinent questions not only about the forest, but also, conveniently, to a part of their electoral public.

Autores

  • Gustavo Koetz Vaccari
  • Roberto Gondo Macedo