Visualizações

14

Eficiência da Resistência Genética no Controle da Ferrugem Asiática da Soja

A soja tem grande importância econômica para o Brasil. Entretanto, doenças como a ferrugem asiática comprometem a qualidade e a produtividade da cultura. A resistência genética é uma das formas eficientes e eficazes de controle dessa patologia. Sendo assim, este trabalho objetivou avaliar a severidade de ferrugem da soja em uma cultivar resistente, TMG 7062 IPRO com tecnologia Inox®, sob diferente números de aplicações de fungicidas, sendo a testemunha sem controle (T1), (T2) uma aplicação de produtos, (T3) duas e (T4) três aplicações. Foram avaliadas a severidade da doença, peso de mil sementes (PMS), produtividade (Kg/ha) e a relação custo versus benefício. Os resultados mostraram que T3 e T4 foram os que apresentaram menor severidade e maiores valores de PMS e produção por hectare, entretanto, T3 apresentou melhor relação custo versus benefício. A resistência genética por si só não foi suficiente para controlar a doença e reduzir as perdas, porém diminuiu a necessidade de aplicação de produtos químicos desonerando o processo produtivo.

Eficiência da Resistência Genética no Controle da Ferrugem Asiática da Soja

DOI: 10.22533/at.ed.7332013108

Palavras chave: severidade, Glycine max, Phakopsora Pachyrhizi, produtividade

Keywords: severity, Glycine max, Phakopsora Pachyrhizi, productivity

Abstract:

Soybean has a great economic importance for Brazil. However, diseases such as Asian rust compromise the quality and productivity of the crop. Genetic resistance is one of the most efficient and effective ways of controlling this pathology. Thus, this study aimed to evaluate the severity of soybean rust in a resistant cultivar, TMG 7062 IPRO with Inox® technology, under different numbers of fungicide applications, being (T1) the control without application, (T2) with one products application, (T3) with two and (T4) with three products applications. The severity of the disease, weight of a thousand seeds (PMS), productivity (Kg/ha) and the cost versus benefit ratio were evaluated. The results showed that T3 and T4 were the ones with the lowest severity and highest PMS and production per hectare values, however, T3 showed the best cost versus benefit ratio. Genetic resistance alone was not enough to control the disease and reduce losses, but the need for chemical products was reduced, decreasing the costs of the production process.

Autores

  • Darlan Dalla Rosa
  • Jean Dalberto
  • Márcio Andrei Fusiger
  • Leonardo Masiero
  • Mariéli Spies
  • Alice Casassola
  • Rafael Goulart Machado
  • Gabriela Tonello
  • Kátia Trevizan