Visualizações

5

ASPECTOS GERAIS DA HANSENÍASE

A hanseníase é causada pelo M. leprae, o qual consiste em uma bactéria intracelular, imóvel, não formadora de esporos que se apresenta como bacilo reto ou ligeiramente curvado. No hospedeiro, o bacilo tem preferência pela pele e nervos periféricos, conferindo características únicas a este microorganismo. As vias aéreas superiores representam a principal via de entrada e de eliminação do M. leprae. A hanseníase é uma doença crônica, transmissível, com surtos reacionais intercorrentes, o que lhe confere alto poder de causar incapacidades e deformidades físicas, principais responsáveis pelo estigma e discriminação aos doentes. Suas manifestações clínicas são associadas a diferentes níveis da resposta imune na infecção por M. leprae. O diagnóstico mais utilizado baseia-se na clínica, sendo confirmado pela baciloscopia. Outros exames podem ser necessários como o exame histopatológico da pele, biópsia do nervo, a reação de Mitsuda e testes sorológicos. Além dos fatores ambientais que determinam a doença, fatores genéticos, humanos e micobacterianos são importantes na interação patógeno-hospedeiro. Dessa forma, a hanseníase é uma doença de trato complexo com a interação de diversos fatores genéticos e adquiridos definindo sua ocorrência.

ASPECTOS GERAIS DA HANSENÍASE

DOI: Atena

Palavras chave: Hanseníase; Imunologia; Genética

Keywords: Leprosy, Immunology, Genetics

Abstract:

Leprosy is caused by M. leprae, which consists of an intracellular, immobile, non-spore-forming bacterium that presents as a straight or slightly curved bacillus. In the host, the bacillus prefers the skin and peripheral nerves, conferring unique characteristics to this microorganism. The upper airways represent the main route of entry and elimination of M. leprae. Leprosy is a chronic, transmissible disease with intercurrent reaction outbreaks, which gives it high power to cause disability and physical deformities, which are responsible for stigma and discrimination to patients. Its clinical manifestations are associated with different levels of the immune response in M. leprae infection. The most commonly used diagnosis is based on the clinic and confirmed by the bacilloscopy. Other tests may be needed such as histopathological examination of the skin, nerve biopsy, Mitsuda reaction and serological tests. In addition to the environmental factors that determine the disease, human and mycobacterial genetic factors are important in the pathogenhost interaction. In this way, leprosy is a complex disease with the interaction of several genetic and acquired factors defining its occurrence.

Autores

  • LUANA NEPOMUCENO GONDIM COSTA LIMA