Visualizações

9

ESTRATÉGIAS DINAMIZADORAS E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE BIOLOGIA (MICOLOGIA) NO ENSINO MÉDIO

Ensinar Ciências Biológicas tem se mostrado um desafio a todos aqueles que fazem educação. Dentro desse contexto encontram-se os Fungos, organismos importantes do ponto de vista biológico, econômico e cultural. O objetivo desse estudo foi desenvolver, analisar e comparar o uso de estratégias dinamizadoras dentro do conteúdo de micologia e compará-las à abordagem tradicional de ensino. A pesquisa teve cunho investigativo e descritivo, com coletas de dados, numa escola de tempo integral, no município de Barra do Corda- MA, com 85 alunos de duas turmas de 2º ano do Ensino Médio, em junho de 2019. No primeiro momento foi aplicado questionário para avaliar conhecimentos em micologia adquiridos anteriormente na trajetória escolar. Em seguida, os grupos tiveram aulas tradicionais com a utilização de slides para a abordagem do conteúdo. Depois, somente o grupo teste teve acesso às estratégias dinamizadoras: construção de modelos didáticos, jogo ‘‘Baralho Fúngico’’ e aulas práticas. Por último, os grupos responderam o questionário final para avaliar os ganhos na assimilação dos conteúdos. Os resultados foram analisados segundo o teste t (p < 0,05) e o ganho normalizado de aprendizagem (g) pela equação de Hake. Os resultados do questionário prévio mostraram baixo percentual de geral de acertos (30% grupo controle e 24% grupo teste) nas duas turmas, evidenciando desconexão dos alunos pelos conteúdos trabalhados na 1º série do ensino médio. Comparando-se os resultados do questionário pós-teste com o prévio percebe-se uma melhora significativa nas turmas teste e superior a turma controle, o que aponta uma boa assimilação dos conteúdos de micologia. O mesmo constatou-se com a metodologia de Hake, com valores de (g) nas turmas teste considerados médios (0,30 ≤ g < 0,70). Portanto, constata-se que a utilização de estratégias inovadoras facilitou a aprendizagem e ainda estimulou uma troca de experiências entre os alunos.

ESTRATÉGIAS DINAMIZADORAS E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE BIOLOGIA (MICOLOGIA) NO ENSINO MÉDIO

DOI: 10.22533/at.ed.02320220914

Palavras chave: Ensino de Biologia; Metodologias ativas; Fungos

Keywords: Biology Teaching, Active Methodologies, Fungi

Abstract:

Teaching Biological Sciences has proved to be a challenge to all those who do Education. Within this context are the Fungi, organisms important from the biological, economic and cultural point of view. The aim of this study was to develop, analyze and compare the use of dynamic strategies within the Mycology content and compare them to the traditional teaching approach. The research had an investigative and descriptive nature, with data collections, in a full-time school, in the city of Barra do Corda- MA, with 85 students from two classes of 2nd year of high school, in June 2019. In the first moment, a questionnaire was applied to assess knowledge in mycology acquired previously in the school trajectory. Then, the groups took traditional classes using slides to approach the contente. Then, only the test group had access to the dynamic strategies, which consisted of building a didactic model, the game ‘‘Baralho Fúngico’’ and practical classes. Finally, the groups answered the final questionnaire to assess the gains in the assimilation of the contents. The results were analyzed according to the t test (p <0.05) and the normalized learning gain (g) by the Hake equation. The results of the previous questionnaire show a low overall percentage of responses (30% in the control group and 24% in the non-test group) in two classes, showing the students' disconnection from the content worked on in the first grade of high school. Comparing the results of the post-test questionnaire with the previous one, a significant improvement is noticed in the test classes and higher than the control class, which points to a good assimilation of the Mycology contents. The same was verified with Hake's methodology, with values of (g) in the test classes considered average (0.30 ≤ g <0.70). Therefore, it appears that the use of innovative strategies facilitated learning and also stimulated an exchange of experiences among students.

Autores

  • Matheus Soares Gomes
  • Marcia Percília Moura Parente