MECANISMO DE AGRESSÃO E DEFESA DA ESQUISTOSSOMOSE: UMA VISÃO DIRECIONADA A REGULAÇÃO DA TH0 E A EOSINOFILIA

A esquistossomose é uma doença parasitária crônica causada pelo platelminto Schistosoma mansoni da classe trematoda. A disseminação ocorre por um ciclo heteroxeno: com presença de hospedeiro intermediário que é o molusco do gênero Biomphalaria, popularmente caramujo e por um hospedeiro definitivo que é o homem. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 6 milhões de indivíduos são portadores da forma intestinal da doença no Nordeste e em Alagoas, um estado endêmico, banhado por rios, lagos, açudes e com sistema de saneamento básico deficiente, o que justifica a alta incidência, prevalência e classificação em área de risco. Os índices epidemiológicos que foram detectados em 70 dos 102 municípios trazem valores de 12.652 casos em 2013 com, 49 mortes notificadas no mesmo ano. Alguns outros índices são apresentados nesta tabela em que mais atualmente (2014) Alagoas é ainda a região do Nordeste e do Brasil com mais notificações de casos de esquistossomose. Então, compreender o curso e fisiologia da infecção é fundamental frente aos dados alarmantes de casos. Bem como entender como o organismo humano age para combater a parasitemia por meio do sistema imune que ativa vias de sinalizações que tentam bloquear os mecanismos de escape do parasita.

MECANISMO DE AGRESSÃO E DEFESA DA ESQUISTOSSOMOSE: UMA VISÃO DIRECIONADA A REGULAÇÃO DA TH0 E A EOSINOFILIA

DOI: Atena

Palavras chave: Esquistossomose; Sistema imune; Th0; Eosinofilia.

Keywords: Schistosomiasis; Imune system; Th0; Eosinophilia.

Abstract:

Schistosomiasisis a chronicparasiticdiseasecausedbytheSchistossoma mansoni platelmintofthetrematoda class. Its disseminationoccursthrough a heterodoxcycle: withthepresenceof amolluskintermediate host fromthe genus Biomphalaria, popularlysnailandby a definitive host thatisthe man. Accordingtothe World Health Organization (WHO), 6 millionindividuals are carriersofthe intestinal formofthedisease in theNortheastand in Alagoas, anendemicstate, bathedbyrivers, lakes, damsandwith a poorsanitation system, wichjustifythe high incidence, prevalenceandclassification in anareaofrisk. The epidemiological indexes thatweredetected in 70 ofthe 102 municipalitiespresentvalues of 12,652 cases in 2013, with 49 deathsreported in thesameyear. Some other indexes are presented in thistable in whichthemostcurrent (2014) Alagoas is still theregionoftheNortheastandBrazilwith more notificationsof cases ofschistosomiasis. That is why understanding the course and physiology of infection is critical in the face ofalarming case data. As well as understandinghowthehumanbodyactstocombatparasitemiathroughtheimmune system thatactivatessignalingpathwaysthattrytoblockthe escape mechanismsofthe parasite.

Autores

  • BÁRBARA TENÓRIO DE ALMEIDA