FREQUÊNCIA DE PARASITOSES INTESTINAIS: UM ESTUDO COM CRIANÇAS DE UMA CRECHE PÚBLICA E PARTICULAR NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, AMAPÁ, BRASIL

enteroparasitas apresentam ampla distribuição, gerando sério problema de saúde pública. Este estudo objetiva verificar a frequência de parasitoses intestinais em crianças de duas creches de Macapá estado do Amapá, Brasil. Estudo transversal, em que foram coletadas amostras fecais de 174 crianças na faixa etária de 2 a 5 anos que frequentam duas creches: instituição pública (A) e instituição particular (B). Estas amostras foram submetidas ao método direto a fresco e de Hoffman durante o período de Março/Junho de 2017. Os resultados demonstraram uma positividade de enteroparasitas para creche (A) de 100% (129/129) e 60% (27/45) para creche (B). Os agentes etiológicos mais frequentes para creche (A) foram: Giardia lamblia 41,9% (54/129) Entamoeba coli 27% (35/129), Endolimax nana 18,6% (24/129), Entamoeba histolytica 12,4% (16/129). Para creche (B), E. coli foi o parasita mais frequente. Entre os helmintos, para creche (A) o mais frequente foi Ascaris lumbricoides 28.6% (37/129) Trichuris trichiura 13% (17/129), Hymenolepis nana 6,9% (9/129) e Enterobius vermicularis 5,4% (7/129), sendo na creche (B) visualizado apenas amebas comensais. Indicadores do nível sócioeconômico, escolaridade e de saneamento, foram os determinantes das parasitoses intestinais, sendo as maiores frequências entre as crianças de baixa renda e que tinham pais com nível de escolaridade baixo. A alta incidência em especial das protozooses sugere a possibilidade de transmissão interpessoal entre as crianças, ou a ocorrência de ingestão de alimentos e/ou água contaminados. Tais resultados demonstram a necessidade de ações e orientações sobre prevenção e tratamento a essas enfermidades na família e creche.

FREQUÊNCIA DE PARASITOSES INTESTINAIS: UM ESTUDO COM CRIANÇAS DE UMA CRECHE PÚBLICA E PARTICULAR NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, AMAPÁ, BRASIL

DOI: Atena

Palavras chave: Enteroparasitas, Crianças, Creche.

Keywords: Enteroparasites, Children, Nursery

Abstract:

Infections caused by enteroparasites present wide distribution, generating serious public health problem. This study aims to verify the frequency of intestinal parasitoses in children from two day care centers in Macapá state of Amapá, Brazil. A cross-sectional study, in which fecal samples were collected from 174 children aged 2 to 5 years attending two kindergartens: public institution (A) and private institution (B). These samples were submitted to the direct and fresh method from Hoffman during the period of March/June 2017. The results demonstrated a positivity of enteroparasites for daycare (A) of 100% (129/129) and 60% (27/45) for daycare (B). The most frequent etiological agents for daycare (A) were: Giardia lamblia 41.9% (54/129) Entamoeba coli 27% (35/129), Endolimax nana 18.6% (24/129), Entamoeba histolytica 12.4 % (16/129). For day care (B), E. coli was the most frequent parasite. Among the helminths, for daycare (A) the most frequent was Ascaris lumbricoides 28.6% (37/129) Trichuris trichiura 13% (17/129), Hymenolepis nana 6,9% (9/129) and Enterobius vermicularis 5.4% (7/129), and in the nursery (B) it is visualized only commensal amoebas. Indicators of the socioeconomic level, schooling and sanitation were the determinants of intestinal parasitoses, with the highest frequencies among low-income children and parents with low educational level. The high incidence of protozoa in particular suggests the possibility of interpersonal transmission among children, or the occurrence of ingestion of contaminated food and / or water. These results demonstrate the need for actions and guidelines on prevention and treatment of these diseases in the family and day care centers.

Autores

  • Rubens Alex de Oliveira Menezes