Visualizações

12

Metodologia Z uma proposta para a construção colaborativa de um sistema digital para gestão da informação

A transição do analógico ao digital, poderá ser orientada por meio de modelos teóricos via metodologias ativas, a partir de estágios comunicativos, utilizando modelos conceituais filosóficos, que garantam a participação, colaboração e interação de todos os futuros usuários, para a construção de uma plataforma digital. Garantir a interação entre os usuários e a compressão dos processos na gestão da informação via digital é fundamental. Pretendemos apresentar a reflexão acerca dos aspectos que permeiam estas relações em um território, foco da pesquisa. Para tal empreendimento, apresentaremos os marcos teóricos que poderão servir de referência para desenvolver condições necessárias, desde a construção dos requisitos da Plataforma digital, à gestão de conteúdo, por meio de um modelo que intitulamos modelo Z.  Em seguida, apresentamos estes pontos: 1. O conceito de Sistema e sua significação. 2. Abordagem do primeiro estágio do modelo Z: a subjetivação, a partir de Weber; 3. A objetivação a partir de Durkheim e seus limites, segundo estágio do modelo Z. 4. O terceiro estágio do modelo Z é o da intersubjetividade da comunidade de comunicação habermasiana. 5. Por fim, o último estágio do modelo Z, o conceito de interconectividade pela via da inteligência coletiva de Lévy, uma passagem de interações presenciais para o virtual como uma perspectiva para fomentar a cultura digital, elemento essencial para a construção e sustentabilidade da plataforma digital.    

Metodologia Z uma proposta para a construção colaborativa de um sistema digital para gestão da informação

DOI: 10.22533/at.ed.1452016062

Palavras chave: Plataforma digital. Subjetivação. Objetivação. Intersubjetividade. Interconectividade. Engenharia de Sistema. Requisitos.

Keywords: Digital platform. Subjectivation. Objectification. Intersubjectivity. Interconnectivity. System Engineering. Requirements.

Abstract:

  The transition from analogue to digital can be guided by theoretical models through active methodologies, using communicative stages, using conceptual philosophical models that guarantee the participation, collaboration and interaction of all future users, involved in the platform digital development. Ensuring the interaction between users and the compression of the processes for deployment both the digital platform and it own information management is fundamental. We present the reflection about the aspects that permeate these relations within the research framework. Taking from a project, we will present the theoretical framework that can serve as a reference to develop the necessary conditions, from the built in of the requirements for a Digital Platform, including its information management, through a model that we call model Z. Then we present in detail the its approach and description: 1 The concept of System and its meaning. 2. Approach the first stage of model Z: subjectivation, from Weber; 3. The objectification from Durkheim and its limits, second stage of the Z model. 4. The third stage of the Z model is that of the intersubjectivity of the habermasian communication community. 5. Finally, the last stage of model Z, the concept of interconnectivity via Lévy's collective intelligence, a passage from face-to-face interactions to the virtual as a perspective to foster digital culture, an essential element for the construction and sustainability of the platform digital.    

Autores

  • PAULO ARAUJO
  • Luis Manuel Borges Gouveia