GANHOS EM CONSERVAÇÃO DA NATUREZA COM BASE EM PLANTIOS COMPENSATÓRIOS NA MATA ATLÂNTICA, BRASIL

A Mata Atlântica é considerada um hotspot global que recobria 15% do território brasileiro, o equivalente a 1.306.421 km2. Distribuída ao longo da costa brasileira é formada por um conjunto de ecossistemas de grande importância para manutenção de serviços ecossistêmicos. Porém, com o processo de desenvolvimento brasileiro, à área original do bioma foi reduzida para 7,84%, e estudos indicam a continuidade do desmatamento que no período entre 2016/2017 foi de 12.562 hectares (125 km2). Por causa da fragmentação florestal, projetos de restauração em parceria com o setor empresarial são importantes e podem integrar ações para a conservação da natureza em um cenário em que medidas compensatórias para obras de infraestrutura que causam impactos negativos a biodiversidade são regra no Brasil. Nesse contexto, uma cooperação técnica inovadora entre uma empresa do setor de infraestrutura e uma instituição que trabalha pela conservação da natureza foi estabelecida. A cooperação objetiva direcionar uma compensação ambiental para a restauração de áreas protegidas da Mata Atlântica, ecossistema de Restinga, ameaçado de extinção, e conta com as seguintes etapas: a) delimitação da área de trabalho para implantação das técnicas de restauração (núcleos de Anderson, galharias e poleiros artificiais); b) corte e controle de espécies exóticas invasoras; c) marcação de matrizes florestais porta sementes; d) coleta de sementes; e) produção de mudas; f) implementação das técnicas de restauração e g) monitoramento. Além dos resultados ambientais, essa iniciativa serve como um modelo para futuras ações de compensação ambiental no Brasil, que envolve um ciclo completo de restauração ecológica.

GANHOS EM CONSERVAÇÃO DA NATUREZA COM BASE EM PLANTIOS COMPENSATÓRIOS NA MATA ATLÂNTICA, BRASIL

DOI: 10.22533/at.ed.7662027054

Palavras chave: Mata Atlântica, Restinga, Restauração Ecológica, Serviços Ecossistêmicos e Medida Compensatória.

Keywords: Brazilian Atlantic Forest, Restinga, Ecological Restoration, Ecosystem Services and Compensatory Measure.

Abstract:

The Brazilian Atlantic Forest, categorized as a global biodiversity hotspot, used to cover 15% of the Brazilian territory, equivalent to 1,306,421 km2. This biome can found alongside the Brazilian coast, and it gathers a set of highly important natural areas for the maintenance of ecosystem services. However, due to the Brazilian development process, the original area of the biome has been reduced to 7.84%. Recent studies point out that deforestation is still a threat with a total forest loss of 12,562 hectares (125 km2) for the period of 2016/2017. Forest fragmentation is another challenge for this biome. In this view, the implementation of restoration projects in partnership with the private sector is critical especially in the Brazilian scenario as a response for frequent environmental compensatory measures from infrastructure companies. Moreover, these restoration projects can also benefit from the integration of nature conservation actions. In this context, it has been established innovative technical cooperation between an infrastructure company and a civil society organization supporting nature conservation. The cooperation aims to address the environmental compensation measure though the implementation of a restoration project in Protected Areas within the Atlantic Forest, more precisely Protected Areas located at the Restinga ecosystem which is highly threatened. The project comprises the following phases:a) delimitation of the work area for the implementation of restoration techniques (Anderson nuclei, galleries, and artificial perches); b) cutting and controlling invasive alien species; c) identification of seedling matrix; d) seed collection; e) seedling production; f) implementation of restoration techniques and g) monitoring. In addition to the environmental results, this initiative serves as a model for future environmental compensation actions in Brazil, thanks to its clear contribution to a comprehensive cycle of ecological restoration.

Autores

  • Alessandra Xavier de Oliveira
  • Daniela Bussmann
  • Felipe do Vale
  • Marcelo Bosco Pinto
  • Marlon Prestes
  • Natasha Choinski
  • Romulo Cícero da Silva