Hanseníase em Mato Grosso, Amazônia Legal, Brasil, 2001-2016

A Hanseníase é uma doença crônica causada pelo Mycobacterium Leprae, que se manifesta principalmente, por lesões cutâneas com diminuição ou perda de sensibilidade térmica, dolorosa e tátil, sendo considerada uma doença negligenciada relacionada com as profundas desigualdades sociais existentes no mundo. A hanseníase concentra-se principalmente na Amazônia Legal, sobretudo no estado de Mato Grosso, que apresentou taxa de detecção de 80,62/100.000 habitantes no ano 2016. O objetivo deste estudo foi caracterizar os casos novos de Hanseníase notificados no estado de Mato Grosso, Amazônia Legal, no período de 2005 a 2016. Trata-se de pesquisa de estudo epidemiológico descritivo pautado em dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Ministério da Saúde, no período de 2005 a 2016. Durante o período do estudo foram notificados 33.984 casos novos de hanseníase em Mato Grosso, o estado apresentou uma média anual de 2.832 casos/ano. Houve predomínio dos casos no sexo masculino (56,66%), na faixa etária maior que 15 anos de idade (93,88%), não indígenas (97,77%), com baixa escolaridade (60,60%). Constatou-se, ainda, que a classificação operacional mais frequente foi a multibacilar, sendo a forma clínica dimorfa predominante, com média de 2 a 5 lesões cutâneas, e a maioria não apresentou nenhuma incapacidade física no diagnóstico. O modo de detecção com maior percentual foi demanda espontânea, a PQBT/MB foi a mais utilizada na terapêutica da hanseníase, e o percentual de cura observado (75,09%) foi inferior ao preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Recomenda-se a descentralização das ações de controle, o desenvolvimento de programas permanente em serviço, busca ativa de novos casos e sensibilização da coletividade sobre a sintomatologia da doença. Considera-se, ainda, importante a sensibilização dos profissionais de saúde para realização do preenchimento Patologia das Doenças 3 Capítulo 25 250 correto da ficha de notificação.

Hanseníase em Mato Grosso, Amazônia Legal, Brasil, 2001-2016

DOI: Atena

Palavras chave: Epidemiologia; Hanseníase; Prevalência

Keywords: Epidemiology; Leprosy; Prevalence.

Abstract:

Leprosy is a chronic disease caused by Mycobacterium leprae, mainly manifested by cutaneous lesions with decrease or loss of thermal sensitivity, painful and tactile, and is considered a neglected disease related to the deep social inequalities in the world. Leprosy is mainly concentrated in the Legal Amazon, especially in the state of Mato Grosso, which had a detection rate of 80.62 / 100,000 inhabitants in 2016. The objective of this study was to characterize the new cases of leprosy reported in the state of Mato Grosso, Amazonia Legal, from 2005 to 2016. This is a descriptive epidemiological study based on data from the National Health Information System (SINAN) of the Ministry of Health from 2005 to 2016. During the study period, reported 33,984 new cases of leprosy in Mato Grosso, the state presented an annual average of 2832 cases / year. There was a predominance of cases in the male sex (56.66%), in the age group over 15 years of age (93.88%), non-indigenous (97.77%), with low educational level (60.60%). It was also observed that the most frequent operational classification was multibacillary, with a predominant clinical form, with an average of 2 to 5 cutaneous lesions, and the majority did not present any physical disability at diagnosis. The method of detection with the highest percentage was spontaneous demand, PQBT / MB was the most used in leprosy therapy and the percentage of cure observed (75.09%) was lower than that recommended by the World Health Organization (WHO). It is recommended the decentralization of control actions, the development of permanent programs in service, active search for new cases and sensitization of the community on the symptomatology of the disease. It is also considered important to raise the awareness of health professionals for the correct completion of the notification form.

Autores

  • TONY JOSÉ DE SOUZA