Visualizações

167

OS BENEFÍCIOS DA CALÊNDULA NO PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO DE LESÕES POR QUEIMADURAS

As lesões resultantes de queimaduras quantificam um grave problema de saúde pública no Brasil. Sendo classificadas em três graus, essas lesões podem vir a comprometer o controle hídrico, além da temperatura corporal e da função de proteção da pele. As propriedades medicinais presentes na calêndula sugerem que a espécie seja  eficaz no tratamento de queimaduras. Sendo assim, esta pesquisa objetivou a partir de uma revisão de literatura relacionar o uso da Calendula officinalis L. no tratamento de queimaduras. A metodologia consistiu em uma revisão bibliográfica nas bases de dados Scielo, Pubmed e Biblioteca Virtual de Saúde. Os descritores utilizados foram: “Plantas Medicinais”, “Calêndula”, “Queimadura”. Foram selecionados trabalhos em português e em inglês publicados a partir de 2003. A análise foi realizada entre os meses de março de 2019 e fevereiro de 2020. Os compostos orgânicos produzidos durante a fotossíntese são responsáveis por diversas funções, os metabólitos primários têm relação direta com as funções vitais das plantas e os secundários são associados a proteção. Além disso, os metabólitos secundários também se relacionam com as propriedades medicinais presentes nas espécies. A calêndula possui uma classe importante de metabólitos, os flavonoides, que são responsáveis pela função bactericida. Os ácidos fenólicos relacionam-se à normalização da atividade antioxidante. Os compostos presentes na espécie em questão lhe proporcionam a capacidade de revascularização, contribuindo com a atividade cicatrizante da planta. Diante do exposto, o uso da Calendula officinalis L. pode ser benéfico em casos de lesão por queimadura tornando necessária a realização de mais pesquisas que objetivem a verificação desta possibilidade de uso da espécie.

OS BENEFÍCIOS DA CALÊNDULA NO PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO DE LESÕES POR QUEIMADURAS

DOI: 10.22533/at.ed.60520250514

Palavras chave: Plantas medicinais. Calêndula. Cicatrizante. Queimado.

Keywords: Medicinal Plants, Calendula, Healing, burn/burning

Abstract:

Injuries resulting from burns quantify a serious public health problem in Brazil. Being classified in three degrees, these injuries may compromisse body water control, as well as body temperature and skin protection function. The medicinal properties present in the Calendula suggest that the species is effective in treating burns. Thus, this research aimed from a literature review to relate the use of Calendula officinalis L. in the treatment of burns. The methodology consisted of a literature review in the databases Scielo, Pubmed, PEDro and Virtual Health Library. The descriptors used were: “Medicinal Plants”, “Calendula”, “Burn Injury”. We selected studies in Portuguese and English from 2003. The analysis was performed between March 2019 and February 2020. The organic compounds produced during photosynthes are responsible for several functions, primary metabolites are directly related to the vital functions of plants and secondary metabolites are associated to protection. In addition, secondary metabolites also relate to the medicinal properties presente in the species. The calêndula has an important class of metabolites, the flavonoids, which is responsible for bactericidal function. The phenolic acids are related to normalization of antioxidant activity. The compounds present in the species in question give it the revascularization capacity, contributing to the healing activity of the plant. In conclusion, the use of Calendula officinalis L. may be beneficial in cases if burn injury, making it necessary to carry out further research to verify this possibility of using the species.

Autores

  • Daniel Vitor Pereira Santos
  • Karolina Silva Leite de Santana
  • Kátia Nogueira Pestana de Freitas
  • Manoel Nonato Borges Neto
  • Mariane de Jesus da Silva de Carvalho
  • Sthefany Hevhanie Vila Verde Souza
  • Vânia Jesus dos Santos de Oliveira
  • Weliton Antonio Bastos de Almeida