A ORIGEM DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO E SEU PAPEL COMO FORMADORA DO SER ÉTICO

A composição enunciada tem por objetivo discutir a origem do conceito de Educação ou, Paideia, como fundamental para formação do que significa ser ser humano de fronte ao mundo. Pois, homem é o animal político pleno que em sua completude permanece constantemente envolvido em relações sociais, e ao mesmo tempo, perfazendo o seu reino interior e construindo-se mediante as fontes que o permeiam, i.e., o homem revela-se relativamente pela força reativa do outro. Com efeito, o convívio humano além de ser necessário devido à fragilidade do homem, depende sobretudo da alteridade. Incorporado dessa perspectiva e exortado pelos deuses que os gregos, sobretudo Platão e Aristóteles, potencializaram-se a excogitar o estado ideal, a cidade perfeita, a sociedade excelente composta por cidadãos excelentes, lançada firmemente em direção ao bem comum, uma vez que o cidadão grego não tomava conta de si como um indivíduo, mas sim como parte constituinte do coletivo, e pronto a exercer uma função enquanto habitante da pólis. O projeto platônico em sua completude tem como característica basilar a apreensão de conceitos habitantes do reino interior como: a justiça; ética; amor; felicidade; sabedoria; bem; tanto como os demais que possuem relação com o objetivo último, i.e., a busca pela hecceidade. Essa finalidade foi o elemento essencial da constituição do mundo consagrado por Platão como divino, o mundo formas perfeitas, das essências, o mundo eterno, propriamente bom, e harmônico. Destarte, a educação compõe a compleição estrutural do mundo platônico como a força motriz do caráter dos cidadãos em strictu sensu, e, em lato sensu, representa o elemento principal para harmonizar a estrutura perfeita do mundo. 

A ORIGEM DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO E SEU PAPEL COMO FORMADORA DO SER ÉTICO

DOI: 10.22533/at.ed.27620130211

Palavras chave: 1. Educação e Estado – Brasil. 2. Educação – Aspectos sociais. 3. Educação – Inclusão social. I. Monteiro, Solange Aparecida de Souza.

Keywords: Eudaimonia. Paideia. Éthics. Love. Education.

Abstract:

The composition aims to discuss the origin of the concept of Education, Or Paideia, as fundamental for the formation of the meaning to be human facing the world. For man is the full political animal that in his completeness is constantly involved in social relations, and at the same time, making up its inner kingdom and building through the context that permeate so, that is, man is revealed relatively by the reactive force of the other. Indeed, human conviviality, besides being necessary due to man’s fragility, depends mainly on otherness. Incorporated from this perspective and exhorted by the gods that the Greeks, especially Plato and Aristotle, were empowered to excogitate the ideal state, the perfect city, the excellent society composed of excellent citizens, launched firmly towards the common good, since the Greek citizen did not take care of himself as an individual, but as a constituent part of the collective, and ready to perform a function as a inhabitant of the Pólis. Platonic design in its completeness has as characteristic the basic apprehension of concepts inhabitants of the inner kingdom such as: the Justice; the ethics; the love; well-being; knowledge; good; as much as the others that are related to the most recent objective, that is, a search for essence. This purpose was the essential element of the constitution of the world consecrated by Plato as divine, the perfect world forms, the essences, the eternal world, properly good, and harmonic. Thus education forms the structural complexion of the Platonic world as the driving force of the character of citizens in strictu sensu, and in lato sensu represents the principal element for harmonizing the perfect structure of the world.

Autores

  • Devanir Pereira dos Santos Canovas
  • Lucas Toshitaka Yatsugafu Longo
  • Pedro Calixto Ferreira Filho