Conflitos e Resistências para a Conquista e Demarcação de Terras Indígenas no Oeste do Paraná

Esse nosso livro é resultado de pesquisas realizadas junto aos tekoha Avá-
Guarani na região Oeste do Paraná, produzido com o apoio financeiro da Coordenação
de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio do Edital
012/2015 – Memórias Brasileiras: Conflitos Sociais. Tal edital apresentava como
objetivo “promover e fomentar a realização de pesquisas científicas que resultem em
livros que deverão enfocar processos e episódios (revoltas, insurreições, rebeliões
populares, lutas armadas, manifestações populares, entre outros) que, ao longo da
história brasileira do período republicano, tenham sido expressão da conflitividade
social e significativos para o entendimento da construção do Estado e da sociedade
brasileira, com valorização de episódios pouco estudados da história brasileira”.
Esse edital possibilitou a aproximação e a articulação de docentes pesquisadores
de três universidades estaduais do Paraná – sendo a Universidade Estadual
de Maringá, a Universidade Estadual de Londrina e a Universidade Estadual do
Centro-Oeste do Paraná – e da Universidade de São Paulo – Escola Superior de
Agricultura “Luiz de Queiroz” USP/ESALQ. Todos esses docentes já possuíam um
vínculo com pesquisas associadas a temáticas sociais nas suas diferentes áreas,
seja na Administração ou no Serviço Social. Provocados pelo conteúdo progressista
do edital e orientados por suas diferentes trajetórias de pesquisas, nossa equipe de
pesquisadores passou a elaborar uma proposta a ser submetida. A forte inspiração
da equipe nesse momento de proposição foi a profunda resistência do povo Avá-
Guarani que habita a região Oeste do Paraná, já conhecida e acompanhada por
parte dos pesquisadores.
No Paraná habitam três povos indígenas distintos, sendo o povo Kaingang,
o povo Guarani e o povo Xetá, existindo ainda a presença de famílias Xokleng/
Laklano nesse território. Cada um desses grupos étnicos e de suas comunidades
possuem distintas cosmologias, distintas relações e formas de utilização das línguas
indígenas e da língua portuguesa, assim como diferentes formas de organização
econômica e política interna, e histórias semelhantes e dessemelhantes na relação
com o Estado e com os demais movimentos sociais. No cenário paranaense –
considerando que a presença indígena nesse território antecede a constituição
administrativa e política do que chamamos de “Paraná” – encontramos históricas
expressões de massacres, violências, expropriação dos territórios tradicionais pelo
Estado e pelos empreendimentos colonizadores e capitalistas. Outrossim, também é
nesse território que encontraremos profundas expressões de lutas e de resistências,
seja pelo reconhecimento e demarcação dos territórios indígenas, seja pelos direitos
à educação escolar indígena, à saúde indígena, dentre outros.
Continua…

Conflitos e Resistências para a Conquista e Demarcação de Terras Indígenas no Oeste do Paraná

DOI: 10.22533/at.ed.229192711

ISBN: 978-85-7247-822-9

Palavras chave: 1. Demarcação de terras – Paraná. 2. Índios da América do Sul – Posse da terra – Paraná. 3. Reservas indígenas.

Ano: 2019

Autores

Artigos