As Instituições Gaúchas de Ensino e os Projetos de Criação de Parques Tecnológicos: Uma Análise a partir dos Estudos Culturais

Esta dissertação coloca em discussão o papel atribuído aos Parques Tecnológicos
relativamente às possibilidades desses promoverem o crescimento cultural, econômico
e geográfico dos locais em que se instalam, através do fomento à integração entre
ações em pesquisa e tecnologia realizadas nas Universidades e nas indústrias. A partir
de abordagens teórico-metodológicas dos Estudos Culturais e da Educação, o estudo
discute relações estabelecidas entre Empresas e Instituições de Ensino Superior
centrando-se em três destes Parques localizados no estado do Rio Grande do Sul:
o parque Zenit, que funciona junto à Universidade Federal do Rio Grande do Sul
(UFRGS); o Tecnopuc, que integra o Parque Científico e Tecnológico da Pontifícia
Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), ambos localizados em Porto
Alegre, RS; e o Tecnosinos, que integra o Parque Tecnológico de São Leopoldo, e
está vinculado à Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). As propostas de
criação, bem como as ações em desenvolvimento em tais Parques foram examinadas
através do que está divulgado nos sites dos três Parques selecionados para estudo,
bem como em outras instâncias da web. Destacou-se que a criação destes Parques em
1995 derivou do Programa Porto Alegre Tecnópole (PAT), coordenado pelo Governo do
Estado do Rio Grande do Sul e pela Prefeitura de Porto Alegre, RS, com a participação
de Instituições universitárias (UFRGS, PUCRS e UNISINOS), bem como da Central
Única dos trabalhadores (CUT) e do meio empresarial, através da Federação das
Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (FEDERASUL) e da
Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) e da sociedade civil,
através do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE). O
estudo descreve e discute propostas, iniciativas, ações e práticas destacadas nos três
sites focalizados e indica a importância que neles é atribuída ao empreendedorismo,
configurado como uma condição necessária ao desenvolvimento da criatividade e
da inovação. Para discutir a noção de empreendedorismo veiculada nos sites foram
invocados autores do campo da Administração de Empresas, tais como Noveli e
Segatto (2012); Closs et alii. (2012); Vedovello, Judice e Maculan, 2006); Pereira et alii. (2009); Dornelas et alii. (2008); Lorenzi (2014); Sakar (2008); Giovanella (2007);
Arbix e Consoni (2011); Lahorge (2004); Bouchardet (2012); Audy e Knebel (2015),
cujas posições foram tensionadas a partir de autores do campo dos Estudos Culturais
como Hall (1997); Saraiva e Marcello (2012); COSTA; SILVEIRA e SOMMER (2003),
bem como de analistas das consequências do ‘novo capitalismo’, tais como Sennet
(2006; 2009).

As Instituições Gaúchas de Ensino e os Projetos de Criação de Parques Tecnológicos: Uma Análise a partir dos Estudos Culturais

DOI: 10.22533/at.ed.512190711

ISBN: 978-85-7247-7-51-2

Palavras chave: 1. Incubadoras de empresas – Rio Grande do Sul. 2. Indústria de tecnologia de ponta – Rio Grande do Sul. 3. Polos de pesquisa – Rio Grande do Sul.

Ano: 2019

Autores

Artigos